sábado, 5 de setembro de 2015

Permanencia

Por:Hercilia Fernandes.

Há silêncio e lentidão
a sensação de tua presença
sei que estais comigo
que lembras, exemplificando,
o meu aniversário
e faz-me chegar tua afeição
que sabes dos ventos, norte-
sul, adversários
em que desdobras atenção
e nesse estado de permanência,
de ausências e águas mansas,
ouço tua voz chamando-me
à tempestade...

Que saco

saco


Dica comercial



Pergunta e resposta fela da puta

O que acontece quando um velho de 88 anos muito
rico se casa com uma gata gostosa de 24 anos?
 Ela se torna uma puta rica e ele um velho corno.
         

Geladeiras aquecidas

                       Piração geral.
Um navio estava sobrevoando Ipueira,
quando um pneu furou e o navio caiu.
Quantas melancias sobraram?
Resposta:
69, afinal banana não tem caroço.

Deixe seu parceiro pirado

Como deixar um homem louco


Só pode ser um politico



Dentadas

"Mulher que não tem opinião própria
é ruim de cama.Fica mecânica e não
transmite sensualidade".
 *Caco Dentão* 
                       


Gatinha humilde



sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Inverno rigoroso

Veja você o que é a natureza.
O cara tinha uma esposa tão fria no
relacionamento,mas tão fria, que toda
vez que abraçava ela, ficava gripado.


Homenagem as bananas



Faroeste caboclo

O pai chega pro filho e fala:
-Filho vou te dar um celular.
-Precisa não pai,a bicicleta já é o suficiente.
No dia seguinte o pai do menino pulou da
janela e nunca mais comeu paçoca.
            

Comunicação



Quem procura, acha

sentimental


Só bosta



Dentadas

"Entendo que as mulheres deveriam ser maltratadas
com mimos,punidas com carinhos,golpeadas com
 orgasmos e castigadas com fidelidade".
*Caco Dentão*


Dilma no Call Center

Via Jornal da Besta Fubana...
Por Paulo Ferraz...
call_center
Dilma perde o emprego atual e vai falar com o seu ex-chefe, tentando uma recolocação no mercado. Comovido com a situação, Lula convence o filho Lulinha a conseguir pra ela uma vaga no call center de uma empresa de telefonia muito próxima. Na primeira vez que o supervisor da Dilma monitorou a ligação, vejam a conversa que ele pegou com um cliente…
– Suporte técnico Oi Velox, bom dia! Dilma falando… Com quem eu falo?
– Bom dia, Dilma, aqui é o Paulo.
– Pois não, Saulo… Em que posso ajudar?
– É Paulo…
– Eu já ouvi, Saulo! Qual é o problema?
– Meu nome é Paulo!
– Não precisa gritar, Saulo! Sem ódio, por favor. Qual é o problema?
– Estou sem sinal da internet e precisando trabalhar pra ganhar dinheiro com essa crise. E, pela última vez… O meu nome é Paulo, pombas!!
– Sr. Saulo Pombas, estou estarrecida! Eu gostaria de dizer que…o sinal é muito importante, inclusive é fundamental.
– Isso eu sei, Dilma… Cacete!!!
– Meu nome não é Dilma Cacete. É Dilma Rousseff. O senhor está ciente da crise chinesa?
– Que crise chinesa, imbecil? Eu to sem sinal!!
– A crise chinesa não é imbecil, é gravíssima! Eu queria dizer que sua falta de sinal é sinal da falta de sinal da outra operadora.
– Assim não dá, oligofrênica!
– Obrigado, você sabe ser gentil quando quer, Saulo.
– Você é a pior atendente de todos os tempos!!!
– Atendenta, por favor!

Dono de boteco sincero



quinta-feira, 3 de setembro de 2015

A origem da corrupção no Brasil

Sebastião Nery
O primeiro ministro da Justiça do Brasil era corrupto.
O governador – geral Tomé de Souza, nomeado pelo rei de Portugal, desembarcou em Salvador em 1549, instalando a primeira capital do Brasil. 
Os dois principais colaboradores do nascente poder colonial eram fidalgos portugueses com prestígio na corte de Lisboa. 
O primeiro, Antonio Cardoso de Barros,“Provedor-mor”, responsável pela arrecadação de impostos.
O segundo, Pero Borges“Ouvidor-mor”,administrava a justiça.
Roubaram muito, ficaram riquíssimos.

Pero Borges, não veio por vontade própria. 
Havia sido condenado pela justiça portuguesa por ato de corrupção
Motivo: administrador da obra, desviara parte do dinheiro destinado à construção do aqueduto de Mafra, cidade próxima a Lisboa. 
Ao invés da prisão, as relações familiares de prestígio na Casa Real negociaram sua vinda ao Brasil.
Antonio Cardoso de Barros seria o administrador das finanças públicas e gestor da economia. 
Sua missão: arranjar recursos para a construção da cidade de Salvador e áreas do Recôncavo baiano. 
Era de fato o ministro da Fazenda, tributando com rigor os poucos engenhos de açúcar existentes.
Partes dos recursos eram incorporadas ao seu patrimônio pessoal.
Ficou milionário, tornando-se proprietário de engenhos açucareiros, acumulando poder e fortuna.
Era o tiro de largada na “roubalheira”
do patrimônio público no Brasil.

Piadinha cu de galinha

Num  bate-papo entre amigos, rolou o diálogo abaixo:
- Sabe a Toinha? Pois é, tenho saído com ela.
- Toinha é um tesão. Tem uma bundinha gostosa, peitinhos duros. Ela é boa de cama?
- Ronca pra caralho, mas acorda cedo.

Problema sério

merda


Vocabulário



Papagaio amigo

juliao


Dentadas

A paixão é foda: ela é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma.
Caco Dentão
             

Roupa nova

roupa


Constatação inequívoca

estudos

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Piadinha cu de sogra chata

Diálogo entre a sogra chata e o genro cachaceiro, mas muito espirituoso:
Sogra:
- Você continua bebendo?
Genro:
- Sim.
- Quanto por dia?
- Três doses de whisky. 
- Quanto custa uma dose de whisky?
- Marromeno uns R$ 10,00.
- Há quanto tempo você bebe?
- Há 20 anos.
Neste momento a cascavel faz as contas:
- Uma dose de whisky custa R$ 10,00 e você bebe 3 por dia. Dá R $900,00 por mês e R$ 10.800,00 por ano, certo?
- Correto.
- Se em um ano você gasta R$ 10.800,00, e sem contar a inflação, em 20 anos você torrou R$ 216.000,00 com whisky, certo?
- Perfeitamente!
- Você sabia que com esse dinheiro aplicado e corrigido com juros compostos durante 20 anos, você poderia comprar uma Ferrari?
O genro responde com uma pergunta:
- Você bebe?
- Não
- Então cadê a porra da sua Ferrari?

Vergonha e revolta

Açude Itans, Caicó
Açude Gargalheiras, Acari
Ciduca Barros


Recentemente, vimos as péssimas condições em que estão os Açudes Itans, em Caicó, e Gargalheiras, em Acari. Sentimos um misto de vergonha e revolta. Vergonha por morar num país tão desigual quanto o nosso, e revolta em saber que este injusto país emprestou 600 milhões de dólares a Cuba e não tem recursos para resolver, de uma ver por todas, com esta miséria que é a escassez de água nos sertões.
Nós que somos nordestinos e vivemos aqui sabemos, melhor do que ninguém, do sério problema de abastecimento hídrico do Nordeste Brasileiro. A falta constante de chuvas, o aumento populacional das cidades, bem como a alta evaporação da pouca água que os nordestinos conseguem acumular, têm trazido uma constante preocupação, não só para as autoridades oficiais quanto para a sociedade civil organizada. 
Dentro deste contexto, precisamos enfocar, especificamente, o nosso Seridó. Vasta e populosa região do nosso estado que, bem como as demais, sofre terrivelmente com a escassez de águas e suas sérias e preocupantes consequências. A constante e acelerada desertificação do Seridó, inclusive com a participação criminosa do homem, é uma realidade reconhecidamente visível, e se faz necessário que tomemos medidas prementes para detê-la.
O que podemos fazer para resolver este grave e desastroso problema? Onde está a solução para mitigar a sede do nordestino? Como parar com a desertificação do nosso Seridó? Na transposição urgente das águas do Rio São Francisco. Os deslocamentos parciais das águas de alguns rios já foram feitos em várias partes do mundo. E nada de catastrófico aconteceu em parte alguma. E por que só aqui no Brasil a transposição de um rio causa tanta polêmica? 
Este projeto é antigo, data de 1985, ou seja, há mais de 30 anos se conversa, polemiza, contesta-se e a coisa não sai do papel. As alegações são as mais diversas: vai mexer no ecossistema, o rio não vai suportar, tem o impacto ambiental, é necessária uma revitalização e o escambau (usando uma expressão de nordestino sedento).
Tivemos a honra de morar durante alguns anos no Estado de Sergipe, às margens do Velho Chico. Conhecemos o grandioso volume da sua foz que, sem serventia, deságua infinitamente no Oceano Atlântico, entre os estados de Sergipe e Alagoas. 
O rio São Francisco tem 2.800 Km de extensão e drena uma área de 641.000 quilômetros quadrados. É um gigante lançando constantemente suas águas no mar, enquanto o resto do Nordeste morre de sede. É justo? Por que tanta polêmica? Em menor escala, este discurso negativo me faz lembrar dois fatos que tivemos, há alguns anos, aqui mesmo no Rio Grande do Norte, aos quais todos nós acompanhamos com atenção.
Primeiro. Quando o governo estadual da época resolveu construir a Via Costeira, caminho asfaltado que circunda a cidade de Natal, margeando algumas belas praias, instalou-se uma verdadeira guerra. Os ambientalistas de plantão, e outras figuras menos votadas, caíram de pau naquela obra. Alardearam, aos quatros cantos, que aquela a Via Costeira iria alterar o ecossistema, blá, blá e blá. Diziam que a estrada cortaria as dunas e, em consequência, as areias invadiriam a cidade. A estrada foi feita, está ali bonita e útil à população. Que é das consequências funestas?
Segundo. Mais recentemente, outro governador do nosso estado, no afã de amenizar a sede de alguns municípios, resolveu transportar parte da água acumulada na Lagoa do Bonfim, que fica situada nos municípios de São José de Mipibu e Nísia Floresta. Foi outra grande e monumental celeuma. Bazofiaram novamente que seria uma calamidade sem precedentes. Segundo aqueles ambientalistas (não seriam os mesmos do caso anterior?) entre os vários prejuízos que a retirada daquela água ocasionaria estaria, inclusive, o fim, a morte definitiva daquela lagoa. O que constatamos? Desde então a água está sendo retirada, servindo 17 (dezessete) municípios, que resolveram definitivamente o seu crônico problema de abastecimento, e a Lagoa do Bonfim continua lá, vigorosa e abundante. Foi tudo falácia das Cassandras do meio ambiente.
Dentre outros ensinamentos, nós católicos aprendemos que é função da Igreja Católica Apostólica Romana também combater o inferno. Gordurinha e Nelinho, os autores da música “Súplica Cearense”, tão bem interpretada por Luiz Gonzaga, foram felizes quando compararam a seca ao inferno. E por que um sacerdote dessa Igreja está visceralmente contra extinguir a morada do Inimigo?
Finalizando, queremos dar uma sugestão a um determinado bispo da Igreja Católica, ferrenho opositor da transposição e que, em sinal de protesto, já fez até greves de fome:
– Bispo, com todo o respeito que a sua batina merece, por que fazer greve de fome? Por que Vossa Reverendíssima, como um protesto mais eficaz e compatível com o assunto hídrico, não faz uma greve de sede?
Escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

Estorinha politica

Nem você, Maria?

Sebastião Nery

Romeu de Avelar, jornalista, escritor, candidatou-se a deputado em Alagoas.
Um desastre. 
Na seção em que votou com a mulher, apareceu apenas um voto.
- Mas, Maria, nem você votou em mim ?
- Querido, todo dia, no café da manhã, você me dizia que já estava eleito. Para não desperdiçar meu voto, votei no compadre Chiquinho.

Placa impenada