terça-feira, 17 de janeiro de 2017

O tempo passa...

Merlí, o professor

Ivar Hartmann

O que relato deve interessar sobremaneira a professores, alunos e pais. Psicólogos e profissionais liberais e, para todos que já fizeram o ensino médio, ou que vão fazê-lo, ou que gostam de uma boa série de televisão. Pelos preços que pagamos pelos canais de filmes da NET ou SKY, que, com raras exceções, exibem filmes velhos e enlatados com propaganda ou bobagens americanas e são uma droga, podemos ter acesso a Netflix. Enquanto os primeiros fixam o filme e o horário em que podemos assisti-los, e como ovelhas somos obrigados a acompanhar, a Netflix disponibiliza todos os filmes e séries de seu acervo para nós os olharmos a hora que queremos, pelo tempo que quisermos. Por isso, esta independência de assistir um filme de acordo com a nossa disposição e não dos canais pagos, que deveriam ser meros fornecedores, mas são nossos patrões, fixando nossos horários de lazer.  Este tipo de diversão, em que somos donos de nossa vontade, tem aumentado tanto que os canais de filmes estão se adequando para a nova realidade. Vale a pena ao leitor ver a novidade que dá uns dias de experimento gratuito. Não quer dizer que a Netflix seja uma maravilha cinematográfica. Longe disso. Com uma grade em que os filmes americanos devem ser de mais de 90% do acervo, temos pouca disponibilidade de buscar filmes do cinema europeu, mais cerebrais, mais lógicos, mais artísticos, mais voltados à vida real. Mas, e, por exemplo, temos várias ótimas séries da BBC inglesa, com o padrão da emissora. E de outras nacionalidades.
Por acaso, entre as séries da Netflix encontrei uma que comecei a assistir só porque se tratava da vida de um professor. Na sala de aula e em seu dia a dia. É impagável! São treze capítulos que, depois do primeiro, foram vistos rapidamente porque a vontade era continuar assistindo. Quanto terminou o último lamentamos não ter seguimentos. A série espanhola (ou melhor, dizer catalã), passa-se em uma escola estatal de ensino médio em Barcelona. Um professor de filosofia (o Merlí), desempregado e sem dinheiro, é contratado para ela. Os alunos são os alunos que se vê em escolas brasileiras de ensino médio. Os professores idem. Seus problemas pessoais, familiares, ciúmes e mal entendidos entre colegas. E lições de vida bem humoradas e permanentes do Merlí que revoluciona a escola. O professor que pedimos a Deus. Veja um capítulo. Pare se conseguir.
ivar4hartmann@gmail.com

2017 promete

                           O QUE VAI ROLAR ESTE ANO.

1 – Descoberta uma forma de prolongar a vida até 200 anos.
2 – Quem ganha o salário minimo terá uma vida confortável.
3 – Aprenderemos a nos comunicar com os animais.
4 – A economia brasileira será a primeira do mundo.
5– Todos os impostos serão abolidos.
6 – Graças a Deus não teremos mais corrupção no Brasil.
– Os políticos vão doar seus ganhos aos pobres.
                 



Esquecimento


Saindo da rotina



EDILSON ALVES

Filho! Você precisa mudar. Disse a mãe do garoto.
- Mudar pra quê mãe? Eu estou super legal.
- Sei! Você ta legal é para se dar mal na vida. Depois que você acabou o colégio você não quer saber de mais nada. Agora fica aí o dia inteiro dentro desse quarto só comendo e dormindo.Essa semana você ficou dormindo na segunda, ficou dormindo na terça, na quarta, na quinta e hoje que é sexta feira, você só saiu do quarto para ir ao banheiro. Ficou dormindo o dia inteirinho. Eu não sei como você aguenta?  Quero só ver o que você vai fazer na semana que vem. Desabafou a mulher.
- Pode ficar tranquila mãe. Na semana que vem eu vou fazer um lance diferente.
- Vai?
- Vou!...Quero sair dessa rotina.
- Que bacana filho! O que você vai fazer?
- Vou dormir na sala.

Trabalho extra



Piadinha cu de formiga

Dois aposentados, que ganhavam um "extra"
 preparando cadáveres para enterro, recebem
 um corpo para ser preparado.
Um deles arregala os olhos e diz:
- Você já viu um pau destes?
O outro responde:
- Eu tenho um igual!
O primeiro, espantado, contra-argumenta:
- Assim grande?

- Não, assim morto!

Casal perfeito



Delírio

ANDERSON BRAGA HORTA  

Nos delíquios do gozo, extasiada e fremente,
entre os ais do prazer, no prazer dos delírios,
a natureza geme, entorpecida, e sente
no contacto da brisa o sabor dos martírios…
Treme o céu, treme a terra… estremecem os lírios,
magoados, na volúpia infernal. Cautamente,
a noite vem cobrir, pálida à luz dos círios
celestes, com seu manto o erotismo do poente.
Lânguida, porejando o suor frio do orvalho,
a mata inda se estorce em seu leito, ao sereno,
e arrepios sensuais correm de galho em galho.
O céu se abraça ao mar, num desespero. E, pleno
de ternura incontida, entre as sombras me espalho,
à flor libando o aroma, e à atmosfera o veneno.

Beleza e grana



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A carta de Platão

Janduhi Medeiros

Como fazer um bom governo, pra erguer o astral democrático da comunidade. Em primeiríssimo lugar, seguir as orientações da carta de Platão: "A democracia é uma constituição agradável, libertária e variada, distribuidora de igualdade indiferentemente a iguais e a desiguais."
Para isso, entretanto, é necessário garantir transparência nas ações, mirando o arsenal dos recursos para o alvo dos projetos sociais e educativos, com políticas públicas e orçamento participativo, aproximando-se, de fato, do servidor público, exigindo deste um tratamento humanizado, na relação com o público, e competência nos atos de gestão. 
Além disso, lutar com todas as armas da dignidade, para cumprir com disciplina o contrato de campanha, firmado com o povo em plena praça pública, inclusive com carimbo de santinhos, selando esse compromisso e assegurando melhorar os caminhos que levam a um futuro melhor. 
Também é muito agradável e obrigatório buscar as parcerias com o governo estadual, federal e todos os poderes que possam contribuir nessa batalha, para promover uma agenda real e positiva em favor de uma melhor saúde, uma educação eficiente e uma segurança compatível com o anseio do cidadão de bem, devolvendo a paz e a cultura aos moradores. 
E por falar em segurança, sentar com o governador e cobrar, diplomaticamente, a obrigação do estado com o município e seus moradores que não podem mais andar nas ruas, em razão de uma violência que parece ser sócia da incompetência governamental. 
Ainda, ampliar os espaço públicos, para que a juventude possa exercitar a integração social e praticar esporte, o idoso fazer suas caminhadas matinais, recuperando praças e construindo tantas quantos necessárias, o que certamente vai ajudar a diminuir a violência. 
Precisa também, melhorar, e muito, o transporte coletivo, para o cidadão que precisa desses serviços, ter o mínimo de conforto e certeza que vai trabalhar e retornar ao seio da família sem o sufoco de uma arma apontada para a sua tranquilidade. 
Reivindicar, por direito, dos parlamentares de todas as esferas seus deveres com a solidariedade, o juramento e com o bem-estar dos munícipes. 
Tirar da máquina os interesses pessoais da engrenagem, que emperram o seu bom funcionamento, para facilitar a viscosidade da ética e da moral. 
Mister ressaltar que, para os hebreus, "Quebrar o juramento é como negociar a própria honra."  E todos eles juraram defender os interesses coletivos e ter comportamento adequado com a coisa pública. 
Portanto, para que a implantação de um governo tenha eficiência técnica e administrativa, é importante a integração dos processos e de pessoas aliadas à política e ao cumprimento de condutas e de leis que regulam a legalidade, com apoio total à verdade, ao exercício da função e principalmente ao envolvimento da lealdade de todos, para o governo ter o orgulho de dizer que realmente é do povo. Sobre tudo isso, Aristoteles lançou o seguinte: "O objecto principal da política é criar a amizade entre membros da cidade."

Advogado, escritor e poeta, autor do romance A Pedra da Cruz

Inevitável

Isabel Machado

Inevitável foi o toque
a procura
a consumação da loucura
a transformar nós dois
em um.
Nada foi comum
Tudo foi vital
anormal...
dentro da normalidade contida
no ato.
Inevitável foi o tato
e meus seios foram teus
... tudo... o corpo todo
sentiu-te em gula
nas entranhas
nas loucas manhas
da manhã-festim...

Inevitável
tatear-me em falso
pra sentir-te pleno
em mim...

O cachorrinho e o porco



Amigo

PEDRO BIAL

Amor de amigo é coisa engraçada!
É diferente de amor de pai, de mãe, de irmão, de namorado...
Amor de amigo é amor que completa a gente.
Um amigo não precisa estar com a gente o tempo todo, porque amor de amigo vence a distância.
Amigo que é amigo mesmo pode até ter outros amigos, porque amor de amigo nunca acaba. Ele se multiplica.
Tem amigo de tudo quanto é jeito: de infância, da escola, de bairro, de igreja, de faculdade, de internet, amigo de amigo...
Tem amigo até que a gente nem lembra de onde veio. E cada um deles tem um espaço guardado na memória e no coração.
Amigo é amigo porque está presente nos momentos mais importantes da vida da gente: o primeiro beijo, a primeira festa, a aprovação no vestibular, um picnic sábado à tarde, um dia de praia, ou até um almoço de domingo.
Aos meus amigos, a todos eles, eu desejo que conquistem cada vez mais amigos.
Porque amor de amigo não se cansa de amar.


Educação nota 10



Dentadas

"DIZEM QUE O CACHORRO É O MELHOR AMIGO DO HOMEM.TUDO BEM EU ADMITO.AGORA QUERO
SABER QUAL O MELHOR AMIGO DA MULHER."
                                  Caco Dentão

Vingança




Na aula de história



Movimentos complicados



domingo, 15 de janeiro de 2017

O prato preferido


Ciduca Barros

Sempre há preconceito quando se observam casais díspares. Quando há diferenças culturais, sociais, étnicas ou econômicas, o homem (ou a mulher) sempre encontra dificuldades, empecilhos e críticas. 
Se o(a) branco(a) casa com a(o) preta(o), se o(a) pobre namora com a rica(o), se o(a) culto(a) junta os trapos com a(o) não instruída(o) sempre são vítimas de severo julgamento das pessoas em sua volta. 
Quando o homem maduro namora uma mulher jovem (ou vice-versa), aí o mundo vem abaixo. 
A sua família, mormente os seus filhos que anteveem uma redução na possível herança, cai de pau no idoso e torna a sua vida um verdadeiro inferno.
Foi exatamente o que aconteceu neste caso. 
Um seridoense, homem de mais de 70 primaveras, viúvo, com seus filhos criados, adultos e independentes financeiramente, iniciou um affair com uma mulher jovem. 
Seus filhos entraram no circuito e meteram o malho no pobre do coroa. 
Não deram trégua ao conterrâneo, a todo o momento estavam sempre criticando e condenando a sua ligação amorosa.
Então, certo dia, um deles resolveu bater mais forte:
– Papai, o senhor ainda não se tocou que aquela garota está querendo apenas o seu dinheiro?
E bateu ainda mais forte quando perguntou: 
– Será que o senhor não sente que ela não lhe ama?
O velho, que não suportava mais tanta aporrinhação, resolveu dar o troco no mesmo diapasão
E perguntou:
– Qual é o seu prato predileto, meu filho?
– Eu gosto muito de galinha ao molho pardo, de cabidela, como dizia a finada minha mãe – respondeu o rapaz.
Então, o anoso, demonstrando toda a sua picardia, indagou:
– E quando você vai comer uma galinha, você pergunta se ela lhe ama?


Escritor, funcionário aposentado do Banco do Brasil e colaborador do Bar de Ferreirinha

Febre é foda



Recadinho

ALÔ IDIOTAS:

O TECLADO DE UM CELULAR CONTÉM MAIS
BACTÉRIAS DO QUE UM VASO SANITÁRIO.
Resultado de imagem para fotos de pessoas com celular


A vida como ela é...




Pergunta e resposta fela da puta

                 CAMPEÃ DE ESCONDE-ESCONDE DE  1912.
                            



Inicio de namoro



Dentadas

                                                                          CACO DENTÃO
                                   

Noticia que comoveu a opinião pública mundial


  Namorada de Thammy Miranda

 passeia a cavalo em praia.

                          Andressa Ferreira (Foto: Reprodução/Instagram)