sábado, 1 de agosto de 2015

Devagar

AUTO_passofundo


Marketing malandro




Verdade verdadeira



No escurinho do banheiro



Piadinha cu de jacaré

No meio da aula de Geografia, o Joãozinho chega para a professora e pergunta:
- Professora! Lâmpada é boa de chupar?
- Que é isso, Joãozinho? Imagina! Quem que te falou uma coisa dessas?
- Meu pai! Ontem eu passei na frente do quarto dele e ouvi ele dizer para minha mãe: Agora, apaga a luz e chupa!

Armadilhas



Gozo sem juízo

Por H. Thiesen...


Possua-me de um modo especial
Acaricie meus cabelos
Aperte-me a nuca
Beije-me a boca
Chupe-me a língua
Deslize pelo meu pescoço
Estacione em meus seios
Suga-me os mamilos
Aperte-os com os dedos
Desça pelo meu ventre
Circule pelo meu umbigo
Lambe-me as virilhas
Beije-me o púbis
Morda-me as coxas
Abre as minhas pernas
Encara o meu pudor
Abre-me com as mãos a vulva
Acaricie-me o clitóris
Abocanhe-me com tua boca quente
Invade-me com tua língua
Sugue-me a seiva doce
Lambe-me o ânus
Morda-me as nádegas
Torne-me à gruta
Deixe-me molhada
Deslize-se pelo meu corpo
Venha-me de novo à boca
Aloje-se entre as minhas pernas
Adentre em meus segredos
Deixe-se pesar sobre o meu corpo
Aperte-me contra o teu peito
Segure-me a nuca
Beije-me com volúpia
Apodere-se de mim
Inflija-me estocadas
Deixe-me deliciar
Até esgotar todas as forças
Finalmente, bem juntos
Unidos no coito
Deleitamos de prazer
Um gozo sem juízo!

Enquanto isso no jardim...



sexta-feira, 31 de julho de 2015

UTB retifica edital de concurso para professores

Certame da UTB é um dos 
mais concorridos do Brasil

Salário pode chegar a R$ 54 mil

A Universidade de Timbaúba dos Batistas (UTB), retifica edital de Concurso Público com vagas para Professores.
O documento altera as oportunidades na área de Medicina, que passa a ter 290 vagas.
As disciplinas e áreas a serem preenchidas estão relacionadas a seguir: Saúde Coletiva (218), Bioinformática (132), Fundamentos Matemáticos para Computação (111), Gestão de Tecnologia da Informação (341) e Estatística e Métodos de Análise em Ciências e Tecnologia (91).
Atendendo aos títulos apresentados pelos candidatos, o salário pode ser de até R$ 28.639,50, mais o auxílio alimentação de R$ 4.373,00, auxílio-paletó de R$ 6.879,31, auxílio carro-zero de R$ 4.567,21, auxílio-saúde de R$ 1.899,66 por dependente e auxílio-escola privada de R$ 7.087,52.
Dependendo da jornada de trabalho, o professor da UTB para receber até R$ 54 mil por mês, salário que é considerado um dos melhores do Brasil e do mundo na categoria.
As jornadas são de 16h semanais ou em regime de dedicação exclusiva.
As inscrições podem ser feitas até 23 de setembro de 2015 no site da UTB.

Desejo realizado...



Fundação Bida Barreira expõe obra de Tarico

A Galeria Manoel Amâncio, da Fundação Bida Barreira, recebe mostra intitulada “O Momento”, do artista Tarico Linhares. As obras podem ser vistas de 10 a 25 de agosto, em horário comercial. A abertura será dia 10 de agosto, com a presença do artista e todos os seus familiares.
A professora Maga Nidia Piraca, responsável pela Galeria Manoel Amâncio, é a curadora. Serão expostas aproximadamente 290 obras que representam as fases do artista caicoense nos últimos 40 anos. Tarico viveu sua infância entre Caicó no Rio Grande do Norte e Recife. Seu trabalho é reconhecido internacionalmente e seus quadros ornam até gabinetes de autoridades na Espanha. Atualmente, vive frequentando ateliês na Europa e Estados Unidos, fazendo desenhos de rostos de autoridades em pedaços de folha e papelão.

Regras



Do outro lado da porta

Por H. Thiesen...


Na madrugada
o silêncio
me pego acordando
ouço você
sussurros e gemidos,
desvario de prazer
palavras ditas
no outro lado da porta
distantes aos meus ouvidos
Te sinto sedenta
em sonhos proibidos
murmuras palavras confusas
externando anseios
satisfazendo desejos
em plena volúpia
os gemidos contínuos
a respiração acelera
saciada tu ficas
com o orgasmo alcançado
que ouço da cama
Esvaecida tu vens
ao meu lado te deitas
repousa inocente
seminua na cama
me viro e te abraço
te beijo a nuca
no teu ouvido pergunto
Não me acordaste por quê?
e tu me responde
Por que meu anjo dormia!

Papo de mulher



Dentadas

Final feliz só em livros de romance e filmes. E mesmo assim, os personagens sofrem um bocado até a história ter terminado.
Caco Dentão

A vida como ela é

arre

Piadinha cu de guiné

Um vendedor chega em uma fazenda aparentemente vazia.
Após dar algumas voltas pela fazenda ele encontra um garotinho, e pergunta:
- Seu pai está em casa?
- Não, senhor, ele foi atropelado por um trator.
- Nossa, sinto muito. E onde está sua mãe?
- Ela foi atropelada por um trator.
- Meu Deus, e onde estão seus irmãos e irmãs?
- Todos foram atropelados por um trator.
- E quem está tomando conta de você? Onde estão seus tios e tias?
- Também foram atropelados por um trator.
- Meu Deus! Você está sozinho? E o que você ficou fazendo todo esse tempo?
- Dirigindo a porra do trator.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Piadinha cu de Alzheimer

Um homem de 80 anos está sentado num banco de jardim, chorando copiosamente.
Um moço, passando pelo local, fica comovido com a cena e senta se ao seu lado, resolvendo puxar assunto:
- O que o aflige, senhor?
- Estou apaixonado por uma moça de 22 anos...
- E o que há de mal nisso? O senhor não é correspondido?
- Claro que sim. Não é o que você está pensando. Moramos juntos, eu e ela, que é lindíssima. Toda manhã, antes de ela ir ao trabalho, nós transamos. Na hora do almoço, ela volta para casa, nós transamos de novo, e ela me prepara um dos meus pratos preferidos. De tarde, se ela tem tempo, ela volta para casa me faz muito carinho para me manter aceso e olha que ela entende do assunto! Finalmente, quando chega a noite, voltamos para o nosso ninho de amor e transamos a noite toda...
- Então eu não entendo. Parece-me que vocês estão vivendo uma relação perfeita. Por que o senhor está chorando?
- É que eu esqueci onde é minha casa...

Pergunta estúpida

gemeos


Piadinha cu de quenga

De uma puta para um policial, ao ser presa:
- Sabe, seu guarda, eu não vendo sexo... 
- Ah, não? E o que é que você vende, então? 
- Eu vendo preservativos e ofereço demonstrações gratuitas, só isso!

O profissional

Foto de Eu Já Fui Um Espermatozóide.

Dentadas

DIZEM QUE EM 1998 O CHUPA CABRA SE ALIMENTAVA DE MULHERES VIRGENS. HOJE ELE MORRERIA DE FOME.
CACO DENTÃO

Por motivo de mudança

Foto de Eu Já Fui Um Espermatozóide.

Pergunta e resposta fela da puta

QUAIS AS PRINCIPAIS REAÇÕES DO ÁLCOOL?

LIGAR PRAS PUTAS, ACHAR QUE É RICO, E FICAR VALENTE.

Tá explicado



quarta-feira, 29 de julho de 2015

O Negro Chagas, um craque

Ciduca Barros
Escritor e colaborador do Bar de Ferreirinha

Atualmente, o futebol brasileiro vem atravessando uma longa entressafra de bons jogadores, consequentemente, amargando um grande jejum de títulos internacionais e nos causando muita vergonha (vide o vexame do famoso 7 x 1 na decisão com a Alemanha). Assistir na tevê uma partida de futebol do maior campeonato do país – Campeonato Brasileiro –, mesmo sendo da 1ª. Divisão, é, para nós que já vimos grandes clássicos no passado, um doloroso exercício de paciência.  Recentemente, assistindo ao jogo Flamengo x Vasco da Gama, tive o desprazer de ver um atleta, envergando o uniforme que grandes craques já vestiram (Ademir Menezes foi um deles), bater um lateral para fora. Quando eu escrevo “para fora” não significa dizer que a bola saiu lá do outro lado do campo, não; a bola “pererecou”, pegou um efeito esquisito e saiu na mesma linha que o batedor estava.
Sintetizando: o futebol brasileiro está cheio de pernas de pau. E esta carência de craques vai demorar a passar. Quais são as promessas que atualmevemos no futebol do Brasil?
À vista da péssima qualidade do futebol brasileiro, venho me lembrando de um dos maiores jogadores de futebol que eu vi jogar: o Negro Chagas, do Caicó Esporte Clube, nas décadas de 1950/1960. Desculpem os censores de plantão, sei que é politicamente incorreto, mas não posso dissociar o adjetivo “negro” do nome daquele craque, pois era assim mesmo que, carinhosamente, ele era chamado por seus inúmeros fãs: Negro Chagas.
Moreno baixo, com longos braços e com um andar balançante, parecia ter molas nos membros inferiores. Ele jogava de meia-esquerda, driblava como ninguém, habilidoso, versátil, chutava forte e fintava magistralmente, por isso era muito difícil de ser marcado. Era excelente batedor de faltas, fez muitos gols de fora de área e quando o grande Didi, também meia-esquerda, criou a imbatível “folha seca”, possivelmente teve nele o seu mais aplicado seguidor. Ou será que ele começou a “folha seca” antes de Didi? Era de baixa estatura, mas com muita impulsão, eu o vi marcar gols de cabeça.   
Eu, e todos os jovens daquela época, amantes do futebol praticado em Caicó, tínhamos no Negro Chagas o nosso ídolo maior. Lembro-me bem de que, colecionávamos as revistas de futebol daquele tempo “Esporte Ilustrado” e “Revista do Esporte”, ansiosamente esperadas, pois vinham semanalmente de Natal, nos ônibus de Artur Dias, trazendo as reportagens dos grandes jogos realizados no Rio de Janeiro e São Paulo, bem como, as fotos dos bons jogadores daquela época, tínhamos certeza de que as jogadas do Negro Chagas e seus inúmeros gols, apenas não eram registradas naquelas revistas porque ele jogava na distante Caicó, lá no nosso Seridó.
Particularmente, eu sempre achei que aquele moreno humilde, sapateiro de profissão, com um molejo no andar, exímio com uma bola nos pés, seria capaz de jogar em qualquer time do Brasil. E, posteriormente, eu comprovei isto.
Em 1964, eu chegava em São Paulo, pela primeira vez. Fui diversas vezes ao Morumbi e assisti ali vários jogadores da época atuarem. Eu vi o Palmeiras de Ademir da Guia. Eu vi o Santos de Pelé. Nas frias noites paulistas, assistindo aos jogos naquele estádio com um gramado impecável e um público que não parava de gritar o nome dos seus ídolos, vinha sempre à minha memória a lembrança do Negro Chagas. Ele tinha futebol de sobra para jogar ali. E naquele momento, eu dizia para mim mesmo: “Chagas jogaria, sem favor nenhum, em qualquer desses grandes times aqui de São Paulo! ”.
Em 1971, fui para o Rio de Janeiro. O país vivia a euforia de ter sido, merecidamente, Tricampeão Mundial de Futebol, no México.  Eu ia ao velho Maracanã, semanalmente. Vi grandes clássicos e grandes jogadas realizadas por jogadores de renome. Eu vi o Vasco de Brito. Eu vi o Flamengo de Zico. Eu vi o Botafogo de Jairzinho. Mas, infelizmente, também vi muitos jogadores de grandes times bater na bola com a canela. E sempre falava com meus botões: “O Negro Chagas seria tranquilamente titular absoluto em qualquer desses times cariocas”.
Ultimamente tenho me lembrado daquele craque caicoense do passado, quando vejo, na tevê, as entrevistas de alguns jogadores de futebol de hoje ou de seus treinadores (hoje chamados de professores. Professores de quê?) tentando justificar as “merdas” que fizeram em campo: 
Nosso desempenho não foi o esperado porque a grama estava muito alta! – disse um.
E eu comigo: “conheci um cara que no velho e desconfortável campo de futebol do Ginásio Diocesano Seridoense, onde havia mais pedra e areia do que gramado, botava a bola onde ele queria. O que ele não faria numa grama alta’’?
Tivemos problemas porque o clima não nos ajudou! – falou um certo técnico (professor?).
E eu pensei: “vi um craque que fazia jogadas monumentais no sol escaldante do Seridó! ”
Certa feita, um atleta, “perna de pau” milionário, desculpando-se de suas “cagadas”:
Eu estava com as chuteiras erradas. Deveria ter posto chuteiras de travas altas”
Estarrecido, voltei a minha memória, mais uma vez, para Caicó do passado: “calçando um desconfortável e duro par de chuteiras, feito lá mesmo em Caicó, conheci determinado jogador de futebol que fazia jogadas incríveis”.
Para mim esta é a maior de todas as aberrações:
Não estávamos acostumados com aquela bola. Ela é mais leve do que...
Esta frase não é uma verdadeira “diarreia mental”? O peso da bola influenciando nas jogadas? E o peso dos dólares no bolso? Não pude deixar de pensar: “com uma bola (capotão?), que nunca ninguém sabia o peso, que ainda tinha um pito que, muitas vezes, lhe dava um efeito traiçoeiro, eu conheci um craque que ‘comia aquela bola’ sem se importar quanto pesava”.
Recentemente, assisti a uma entrevista inteligente do magistral Rivelino. A certa altura o entrevistador lhe perguntou qual, na opinião dele, seria o diferencial de um craque de futebol para um jogador comum. Brilhante como ele sempre foi, sintetizou dizendo: “o jogador comum, quando recebe a bola, todo mundo já sabe a jogada que ele irá fazer. O craque não. Este é imprevisível. Toda vez que ele está com a bola, faz uma jogada diferente”. Seria necessária maior explicação?
Chagas chegou a ir para o Sport Club do Recife e dizem que, com saudade da terrinha, ele voltou para o aconchego de Caicó. Se verdade, eu não o condeno por isto, pois eu também pensei, em várias ocasiões, fazer também meu regresso ao lar.
Para você, eu declaro sem medo de errar, Negro Chagas: daquela geração de jogadores de futebol do seu tempo, seja nos tórridos campos do Seridó ou em outras partes do Brasil, eu vi poucos melhores do que você!
E lhe digo mais, Chagas: atualmente, desses milionários pernas de pau que acumulam milhões em suas contas bancárias e posam de craques, ninguém joga mais do que você jogou,  negro velho! 

Zé Prativai


No princípio era a verborragia de Emílio Odebrecht acreditando ser Deus. No meio, o verbo da Justiça revelando que tudo foi feito pelo filho, e nada do que foi feito, foi feito sem ele. No fim, a cadeia amansando a histeria de pai, filho e outros espíritos."

Zé Prativaiespecialista em sujeitos sem predicados e outras assombrações.

Leila Florêncio expõe na Casa de Cultura de Caicó


A caicoense Leila Florêncio, está expondo na Casa da Cultura de Caicó, durante
o período da Festa de Sant'Ana. A exposição fotográfica traz imagens do Rio
Potengi. Leila estará brevemente apresentando uma exposição fotográfica
sobre o Sertão do Seridó em Paris.

Abaixo, o convite para Leila expor em Paris.



Papo orgásmico

Dois clitóris conversam:
 "Me disseram que você sofre de frigidez..."
O outro rapidamente responde:
"São as más línguas..."



Nova moda:trenzinho de fumaça