segunda-feira, 30 de abril de 2012

Hoje é o último dia...

Circo do Seu Léo

Um verdadeiro artista de rua.
Homem faz malabarismos com auxílio de criança.
Depois, faz um show solo. 
Atração digna do Cirque du Soleil.
Aperte o play e confira:

ARTIGO

O Facebook é fundamental
Ivar Hartmann






Recente ferramenta da internet vale à pena conhecer o Facebook. Até para saber sobre seu uso e importância. Como tudo na vida, há os prós e os contras. A primeira é que se cria uma confusão entre o que é um amigo ou simples conhecido. Evidente, o grau de amizade que temos com certa pessoa é que nos leva a intimidade. 
Em cidades pequenas onde as pessoas ainda conhecem e cumprimentam os vizinhos, são grandes as possibilidades de alguém, extrovertido, de bem com a vida, ter dezenas de amigos e centenas de conhecidos. Desta convivência diária e deste conhecer mútuo é que as pessoas podem transformar um conhecido em amigo e de amigo em um íntimo. 
Já nas cidades grandes é diferente, como diferentes são os ritmos de cada um de seus moradores. Nem o vizinho de prédio, muitas vezes, é conhecido. Que dirá o da rua. De igual forma, o Facebook, não gera problemas entre amigos, mas pode criar dificuldades quando tratados com estranhos ou conhecidos que andam pela ferramenta. Dona Irma Hexsel era uma velha amiga de minha mãe que dizia singelamente: “amigo é aquele com quem se comeu uma quarta de sal”. 
Ora, uma quarta de sal, ou um quarto de saco de sal, são muitos quilos. O que ela queria dizer é que amigo não é a pessoa com a qual temos  alguma afinidade, mas sim grande intimidade. E os amigos de nossos amigos não são necessariamente nossos. Esta situação de intimidade que gera confiança é que pode ser uma arma contra nós ao passearmos (muitas vezes perdendo tempo), pela tela do Facebook.
Exemplificando: recebi um pedido de amizade de uma pessoa que tinha 1.500 amigos catalogados. O normal das pessoas é ter amigos cortando bastante esta soma. Nunca vi, ouvi, li, conheci, ou recebi notícias da solicitante. Então, como posso tê-la como amiga? Se quisermos contatos confidenciais, a ferramenta segura é sem dúvidas o Skype. Por outro lado, jovens com tempo, idosos sem companhia, ou pessoas que necessitam de tratamento psicológico, sem dúvida, encontraram um remédio eficaz. 
Para os jovens é forma moderna de expressar-se, relacionar-se e trocar fotos sem compromissos com os amigos. Os idosos porque dispõem de mais tempo e nem sempre as famílias se congregam com eles, que se sentem abandonados. Podem então matar o tempo e divertir-se na tela. E a psicologia pode aproveitar o Facebook para livrar os pacientes de seus rancores e solidões.
Promotor de Justiça aposentado. Foi professor de direito nas Universidades de Cruz Alta e Novo Hamburgo e professor de história no ensino médio do RS. Envolvido com causas comunitárias, escreve semanalmente para vários jornais do país. Reside em Novo Hamburgo. Email: ivarhartmann@terra.com.br

Os gostos e cheiros de eu pequeno

Gilberto Costa
Guardo o travo na minha língua
De todo os gostos de eu pequeno.
O gosto das doces tamarindas
Umedecidas pelo sereno da chuva!
O gosto dos imbus! Dos canapus!
O gosto das cajaranas! Das bananas
Amadurecidas todas no pé!
O gosto dos juás! Dos trapiás!
Das tamboeiras de melancia
Cultivadas no roçado da muriçoca!

Trago na boca o sal da paçoca
De carne-de-sol assada,
Misturada com cebola e farinha!
O gosto salgado dos preás!
O gosto dos tamanduás!
O gosto torrado da galinha!

Sinto o cheiro nas narinas
De afogueado de batatas assadas
Nas labaredas de fogos na areia!
O cheiro de escaldado! De coalhada!
O cheiro de maxixada! De buchadaa!
O cheiro de jerimum caboclo!
O cheiro de cuscuz com coco!
O cheiro de fuçura de porco!
O cheiro de café coado no pano!
De café torrado com rapadura!
De café do bule para a quenca!
Tudo feito no fogo de lenha!

Hoje, no supermercado,
Minha língua não sente mais travo!
Hoje, vindo do inox, não sinto o gosto
Da mistura dos gostos da panela de barro!

domingo, 29 de abril de 2012

Mais um passo rumo ao Palácio Felipe Camarão

Fernando BLT e Nelhão na reunião de trabalho ontem, visando as eleições de outubro

Enquanto os outros se divertem no fim de semana, Nelhão Benévolo articula a formação da sua chapa para as eleições de outubro.
Pré-candidato a prefeito de Natal pelo Partido do Bar de Ferreirinha, ontem o engenheiro caicoense participou de mais uma reunião de trabalho visando o pleito eleitorial que se avizinha.
Na residência do advogado Beto Costa, e acompanhado do staff da campanha, Nelhão praticamente definiu a linha de atuação na área jurídica.
Um exército de 20 advogados vai cuidar de todos os detalhes legais para que o trajeto até o Palácio Felipe Camarão ocorra sem obstáculos.
"Beto Costa será o nosso comandante na área do direito eleitoral, e, neste aspecto, a campanha está muito bem entregue", analisou Nelhão em entrevista exclusiva ao Bar de Ferreirinha.
Participaram da reunião, além do pré-candidato, o empresário Fernando BLT (na foto, de chapeu, com Nelhão), o marketeiro Kaká Kurioso, o advogado Beto Costa e o jornalista Aquino Rego, da assessoria de imprensa.
Depois da reunião, Nelhão foi a outro encontro comunitário no bairro de Felipe Camarão, Zona Oeste de Natal, discutir os problemas locais com a população e anotar as prioridades para inclusão no seu programa de governo.
Hoje, a agenda é livre.

Dois apostadores acertam a Mega-Sena

Próximo sorteio vai pagar R$ 14 milhões
Dois bilhetes acertaram as seis dezenas do concurso 1.384 da Mega-Sena sorteadas ontem e levaram, cada uma, R$ 4.030.007,03.
Os números sorteados em Forquilhinha (SC) foram: 02-18-30-31-45-56.
Ao todo, 56 apostadores acertaram a quina e levarão a quantia de R$ 33.924,99. 
Outras 5.010 acertaram a quadra e devem levar R$ 541,71 cada um, de acordo com a Caixa Econômica Federal.
Segundo a Caixa, o próximo sorteio, que será realizado na quarta-feira, dia 2, deve pagar prêmio de R$ 14 milhões.

A sereia do tatuador

29 de abril de 2012
A sereia do tatuador



Logo após o crime a polícia passou a investigar pista que apontava os Correias como suspeitos, uma vez que Lúcio teria desonrado uma menor da família, cujos irmãos juraram lavar a honra do clã com o sangue do sedutor.
Com o primeiro namorado Diana não pode casar por oposição dos seus pais.
Arialdo, desgostoso e ressentido, abandonou a terra natal, sentou praça na Marinha, sumiu no mundo, e quando deu notícias, morava em Lisboa, Portugal, já estava no segundo casamento, pai de três filhos e ganhava a vida como tatuador, arte que aprendera com o mestre Lu Chi em Madagascar. Nunca conseguiu esquecer Diana, nome com que batizou a sereia que só admitia tatuar nas costas do cliente, logo abaixo do pescoço, para que nunca pudesse vê-la diretamente.
Contra a opinião de Vera, que idolatrava Arialdo, irmão mais velho, Diana casou com Lúcio, o mais moço dos três irmãos. O casal passou a residir em Flores do Seridó, região da Serra de Santana, hoje pertencente ao município de Florânia no Rio Grande do Norte.
Menos de três anos depois, com dois tiros no tórax, Lúcio foi misteriosamente assassinado próximo ao roçado que estava preparando no pequeno sítio por ele arrendado no pé da serra do Quinquê.
A polícia nada descobriu a não ser a inocência dos Correias. A moça apontada como vítima negou peremptoriamente, com total apoio dos pais e dos irmãos, ter sido ofendida ou violentada por quem quer que fosse.
Anício Leite, relojoeiro e ourives de fama na capital do estado, conterrâneo e amigo de infância de Arialdo, na intensa correspondência que com ele mantinha, relatava pormenorizadamente todas as informações que chegavam ao seu conhecimento relacionadas com Diana e com o crime de que Lúcio fora vítima. Mantinha-se atualizado por intermédio de Vera com quem estava namorando.
Com dois filho menores, Diana, ano e meio após a morte do marido, casou com o agricultor Expedito Pimental, 25 anos mais velho do que ela, viúvo e pai de três filhos. Anício Leite e Vera Cristina Ramos foram os padrinhos da noiva.
Meses depois do casamento, Vera encontrou-se em Caicó com o jovem médico Marcos Saltino Marques, que toda sexta-feira atendia no posto de saúdo do povoado, onde mantinha também uma casa que servia de consultório particular e de residência quando nos fins de semana permanecia em Flores. Estava de passagem por Caicó com destino ao Paraná, onde fixaria residência.
O Dr. Marcos contou a Vera o que a ela já tinha sido insinuado pelo soldado Inácio Cruz do destacamento policial de Flores.
O boato relacionando a menor Maria Cristina com a morte de Lúcio fora espalhado por Expedito Pimentel e sustentado pelos adversários políticos dos Correias. Aproveitaram a coincidência de também se chamar Lúcio o namorado da moça para, com esse grosseiro arremedo de verossimilhança, sem pé nem cabeça, tentar encobrir a torpeza da infamação e dirigir o rumo das investigações policiais contra o poderoso grupo político dominante em toda a região da Serra de Santana.
Expedito Pimentel seria o verdadeiro mandante do crime, porque pretendia casar com a viúva, por quem nutria velha paixão. Dias antes do assassinato peitara o soldado Maniçoba com a oferta de dois contos de réis para matar Lúcio.
O soldado Inácio Cruz, menos de quatro meses depois desses acontecimento, morreu numa virada de caminhão.
Ao sustentar esse versão, o médico tentava tirar da cabeça de Vera a hipótese que no momento parecia ser a verdadeira, segundo a qual o autor da morte de Lúcio teria sido um tal de Satírio Ferreira, mascate de tecidos, por conta de dívida de jogo. Lúcio, por não poder pagar o que devia, escondia-se no roçado para não se encontrar com os credores, principalmente com Satírio, o maior deles. Depois do crime o referido mascate jamais fora visto na região, mas diversas pessoas que com ele mantinham relacionamento diziam ter ouvido dele a ameaça de que se não recebesse o dinheiro iria matar o seixeiro.
Do Dr. Marcos, depois dessa conversa, nunca mais se teve notícia.
Diana vivia no seu segundo casamento a fase mais feliz de sua vida. Expedito, homem trabalhador e muito atencioso, cuidava dos enteados como filhos legítimos e dispensava à mulher todo o afeto da carinhosa dedicação que se pode esperar de um bom marido. Além de uma casa e um armazém na cidade, possuía dois pequenos sítios, onde criava algumas vacas de curral e centenas de cabeças de miúças diversas. No armazém vendia cereais e legumes, rapadura do Cariri, açúcar-bruto e o medicinal mel de uruçu, que trazia da região agreste. Considerado um dos homens mais equilibrados da região, gozava de crédito e muito respeito não só onde morava, mas em toda a vizinhança. Não tinha nenhum vício nem inimigo. Católico fervoroso, era a única pessoa em Flores e toda a região do Seridó que sabia acolitar missa em latim. Muitas vezes, para esse fim, teve de ir a outras cidades e fazendas do Seridó.
Anualmente, nas festas de Nossa Senhora dos Remédios e de São Sebastião, doava um garrote para os leilões e toda a noite puxava o terço da novena.
Filantropo, tinha um carro de boi que transportava dois tonéis e alguns pequenos barris para distribuição de água de açude, potável, pois a proveniente das cacimbas do rio era pesada e salobra e só servia para cozinhar e lavar. De dois em dois dias entregava gratuitamente uma lata d’água para cada casa da rua.  
Muito querido e aplaudido, principalmente pelas crianças, às quais todo ano por ocasião das festas natalinas distribuía caramelos e bombons, não se vangloriava nem gostava de aparecer. Afastado de qualquer manifestação política, afora a família e as atividades comerciais e rurais, só se interessava mesmo pela sua religião e em ajudar os mais pobres, principalmente os doentes, sempre que podia. Era a bondade em pessoa e homem de caráter exemplar.
Ainda não completara dois anos de casado, foi misteriosamente assassinado numa emboscada quando retornava a cavalo de um dos seus sítios.
De uma dia para o outro começaram a correr boatos indiciativos contra Diana, mulher de comportamento firme e decente, incapaz da prática de qualquer ato criminoso ou imoral. Sempre ao lado do marido, jamais recebeu dele qualquer recriminação. Pelo contrário, Expedito sempre se sentiu orgulhoso e seguro ao lado de Diana, em favor de quem não poupava elogios. Dona de casa primorosa, sempre cuidou dos filhos e dos enteados com extremo carinho e zelo. Executava com presteza e perfeição todos os seus afazeres domésticos. Era sincera e extrema a devoção que dedicava ao marido. Diana sentia-se a mulher mais feliz do mundo, totalmente realizada e só sonhava com o futuro promissor e saudável dos filhos. 
De repente, qual um raio de desgraça, tudo muda. Assassinam o marido. Acusam-na de criminosa. O futuro que, ao lado do marido, lhe parecia bonançoso e seguro, de repente passa a afigurar-se tumultuoso e triste. Para Diana o mundo acabara-se com a morte do marido, com a orfandade dos filhos e com a gravidade das suspeitas e acusações contra ela maldosamente levantadas. Sem saber o que fazer, sentia-se morta. E sem poder fazer o que queria sentia-se injustiçada. Apenas rezava, pôs nas mão de Deus a sua defesa, o seu futuro e o futuro dos filhos. Seu único conforto moral advinha da certeza de que quem não tem culpa nada deve temer. (Continua).
Procurador federal e ex-prefeito de Caicó

Um fado, com certeza


Janduhi Medeiros
Saboroso é o bacalhau
Como se guitarra e vinho,
Azeite, sal, aroma, tigela dourada
Conseguissem erguer o peixe horizontal
Para a terra saborear a carne do mar.

O chão nutre rubras pimentas, lágrimas,
Ao sabor da mesa lusitana na Índia
E é nesse instante que seu arder
Oriental de pirata, em molho,
Degusta o desejo da sereia navegante.

Ah, que nada concorra 
Senão a tábua de frios!
Que nem o apetite
Desmanche a travessa completa.

Soberbo, prato de inigualável paladar,
Permita que tua fibra plante no barro
Um gosto antigo de pescado ou de vida
E desvende tua cozinha
Pela saudade eterna de Portugal.

Engenheiros da RYFFS ganham prêmio internacional

Os três engenheiros da RYFFS que participaram da Feira Internacional de Empreendedorismo Produtivo, Ciências e Cultura dos Estados Unidos, durante este mês, vão trazer muito mais do que a experiência de participar de um evento internacional.
Eles conquistaram o primeiro lugar geral entre os projetos de engenheiros do Brasil, Rússia, Alemanha, Holanda, Equador, Peru e Uruguai, por terem desenvolvido o seu próprio sistema de energia eólica. 
Como premiação, receberam troféu e U$ 1 milhão.
Joaquim Dupezão, Marcos Quinha e Flávio Leiro representaram a RYFFS. 
Eles viajaram para os Estados Unidos no último dia do mes passado, ao lado do professor Lantequera, com todos os custos da viagem assumidos pela RYFFS.
.

Feira de citações esporrentas

Fonte: Balaio Porreta
[] A História do Brasil não é a mesma no Paraguai. (Millor Fernandes)
[] Um homem sem endereço é um vagabundo; um homem com dois endereços é um libertino. (George Bernard Shaw)
[] Imoralidade é a moralidade daqueles que estão se divertindo mais do que nós. (H.L. Mencken)
[] (Covarde é) Alguém que, numa situação perigosa, pensa com as pernas. (Ambrose Bierce)
[] Sempre digo que o pior da bofetada é o som. Se fosse possível uma bofetada muda, não haveria ofensa, nem humilhação. (Nelson Rodrigues).

Dentadas

Eu tenho uma insônia tão féla da puta, que os carneirinhos dormem primeiro que eu.
Caco Dentão

Inleitô consiente

José Irlando Morais
Vixe!
Chegou a hora de putariá, dizer mintira, lorota, casá safado cum pilantra, e se benzê rezando pro cão. Agora é seguir a fila dos fila da puta e cantar a musiquinha laralaiada do candidato campeão em ladroagem e safadeza .
Tá na hora de votar no chibungo que come bola e imbola o nosso istambo cum a cara mais lisa do mundo. Vamo andá na corda tesa que joga contra a esperança. agora é fechá os óio e atirá no premero qui sortá uma nota de cinqüenta.
Eu lá quero sabê do Brasil!!! Eu vô é ganhá o da verdura e do frango tanajura. Meus minino que se lasque!!! Quando eles crescê eu já tô plantado lá no parque são João batista e nada vai acontecer de milhô pra ninguém.
Tarvês eu inté ache um honesto pra dar uma vaia de arrombar e cagá no chão e limpá o cu cum o santinho dele. Honesto!!! É mesmo é um grande cu cagado qui nunca vai aprendê a viver mió.
Vamo mermo é afuleimá o calamengau, e quem vinhé atráis que bata a cancela. O qui é???
Tu tá achando rim??? Vai pá puta qui ti pariu e leve argúem pá í cunvesando abestado!!! Ilarilarilariê ô ô ô… votá dereito???! Aaahhhh!!!

Bêbado: o amador e o profissional

Mario Prata
Sim, minha amiga, existem os amadores e os profissionais. E são facilmente reconhecidos. Pra começar o profissional está sempre penteado. Despenteou, esteja certa de estar diante de um bêbado amador.
O amador é chato. E não tem exceção. Ele pode até não ser chato quando sóbrio. Mas passou de terceira dose, é dose.
Não sei como, mas o bêbado profissional nem hálito etílico exala. Pelo contrário, chega a ser até perfumado. Já o bafo do amador chega até mesmo antes dele. Pior que hálito de bêbado amador, só mesmo de bêbada amadora. É mesmo uma desgraça.
O profissional jamais – jamais! - bate em mulher. Pelo contrário, chega com fala mansa e diz palavras leves. Geralmente leva. Apareceu falando alto, te cuida, é amador.
O BP (vamos chamar assim o bêbado profissional) sempre chega em casa dirigindo sem bater. Não se lembra como, é claro, mas chega. O BA nem acha o carro. E nem se lembra no dia seguinte. Acorda tentando reconstituir a noite para saber em que gole ficou a viatura.
BP que se preza jamais fala no ouvido da gente e muito menos coloca a mão no ombro da pessoa a quem se dirige. Já o BA é especialista em ouvidos, ombros e – mais tarde – colos. Também costuma conversar segurando na sua mão, seja homem ou mulher.
Quando um deles vem chegando com aquele olhar de bebum, basta olhar nos sapatos. O do BP está limpo. Do BA está – inclusive - desamarrado.
No tempo em que eu bebia - e me considerava profissionalíssimo – um conhecido escritor e BP foi até a minha casa. Servi um uísque para nós dois e ele perguntou:
- Quantas garrafas você tem em casa?
Diante de tal pergunta imaginei que ele fosse mamar (BP odeia essa expressão) mais que uma.
- Mas essa está cheia!..
- Você é amador! – e deu uma golada e uma gargalhada. – Amador! E eu que te considerava um profissional...
Fiquei indignadamente sóbrio:
- Como amador??? Como???
- Meu querido, um profissional do álcool não tem apenas uma garrafa em casa.
- Bem, eu tenho mais uma guardada.
- Oito, meu filho, oito!!! Um bom bebedor tem que ter no mínimo oito garrafas em casa. E da mesma marca.
- Mas eu não bebo nem uma por dia...
Ele, se servindo de mais uma dose:
- Pois é aí que mora o perigo, a culpa! Veja essa garrafa. Você fica bebendo e vendo ela se esvaziar rapidamente. De manhã ela estava cheia, de tarde já pela metade. De noite vazia. Ou seja, você fica bebendo e vendo o quanto você bebeu! Dá culpa, você se sente um alcoólatra. Se fosse um profissional, teria uma aqui na mesinha, outra ao lado do computador, outra no criado-mudo, na cozinha, na sala de jantar, uma perto da biblioteca e até uma no quarto das crianças. Não é a garrafa que deve circular pela casa. E sim o copo. E você. Assim, meu querido amador, você não sente a garrafa se esvaziando em algumas horas, na sua cara, te dedando, te culpando. Cada uma que você pega estará sempre quase cheia. E não dá culpa. Pensando bem, você nem percebe que está de pilequinho. Me serve outra. Olha aí, já bebemos metade. Assim não é possível! Faça-me o favor!

Briga

O cara liga pra mãe e diz:
- Mãe ela brigou comigo de novo e estou indo morar com você.
A velha responde:
- Não meu filho, ela tem que pagar por isso. EU vou morar com vocês.

Poetas repentistas festejam os 49 anos do Programa Violeiros do Seridó

Na próxima terça-feira (01/05) a Rádio Rural festeja 49 anos de serviços prestados a sociedade seridoense, com trabalhos na comunicação. 
Para comemorar, uma vasta programação está sendo montada e, entre as atividades, está o 15º Encontro de Poetas Repentistas, que foi fundado em 1963 mesmo ano da inauguração da Rádio Rural. 
O evento acontece no Clube Pingo D’ Água, às 20h, e conta com a apresentação das duplas concorrentes Edmilson Ferreira e Antônio Lisboa (Recife/PE), Rogério Menezes (Imaculada/PB) e Luciano Leonel (Caruaru/PE), Geraldo Alves (Paulista/PB) e Francineto Teodoro (Riacho dos Cavalos/RN), José Lúcio (São Vicente/RN) e Geraldo Brito (Caicó/RN). 
Além destes, serão convidados Carlos Alberto (São José do Seridó/RN) e Benedito Nascimento (Caicó/RN).
O Programa Violeiros do Seridó foi ao ar pela primeira vez em 1963 e segue até hoje, ininterruptamente, pelas ondas da Rádio Rural. 
No Encontro de Poetas Repentistas será feita uma homenagem ao idealizador do programa, Chico Mota, falecido em junho do ano passado.

sábado, 28 de abril de 2012

Mega-Sena sorteia R$ 7,5 milhões hoje

O concurso de número 1.384 da Mega-Sena, que será realizado neste sábado, deve pagar R$ 7,5 milhões para a aposta que acertar as seis dezenas sorteadas.
A previsão é da Caixa Econômica Federal.
É que nenhum bilhete acertou os números do concurso 1.383, realizado na última na quarta-feira, e o prêmio acumulou.
Os números sorteados na ocasião foram: 07 - 09 - 23 - 44 - 46 - 55.
Ao todo, 106 apostas acertaram a quina e levaram R$ 14.064,76 cada uma. 
Outras 6.224 acertaram a quadra e ganharam R$ 342,19 cada uma. 
As apostas devem ser feitas até as 19h ao custo mínimo de R$ 2,00.

Diferença muito sutil

Consta que, certa noite, anos atrás, um homem entrou com a namorada no restaurante Lucas Carton, em Paris, e pediu uma garrafa de "Mouton Rothschild", safra 1928.
O sommelier, em vez de trazer a garrafa para mostrar ao cliente, traz o decanter de cristal cheio de vinho e, depois de uma mesura, serve um pouco no cálice para o cliente provar.
O cliente, lentamente, leva o cálice ao nariz para sentir o aroma, fecha os olhos e cheira o vinho.
Inesperadamente, franze a testa e, com expressão muito irritada, pousa o copo na mesa, comentando rispidamente:
- Isto aqui não é um Mouton de 1928!
O sommelier assegura-lhe que é. O cliente insiste que não é.
Estabelece-se uma discussão e, rapidamente, cerca de 20 pessoas rodeiam a mesa, incluindo o chef de couisine e o gerente do hotel, que tentam convencer o intransigente consumidor de que o vinho é mesmo um Mouton de 1928.
De repente, alguém resolve perguntar-lhe como sabe, com tanta certeza, que aquele vinho não é um Mouton de 1928.
- O meu nome é Phillippe de Rothschild - diz o cliente, modestamente - e fui eu que fiz esse vinho.
Consternação geral.
O sommelier então, de cabeça baixa, dá um passo à frente, tosse, pigarreia, bagas de suor escorrem da testa e, por fim, admite que serviu na garrafa de decantação um Clerc Milon de 1928, mas explica seus motivos:
- Desculpe, mas não consegui suportar a idéia de servir a nossa última garrafa de Mouton 1928. De qualquer forma, a diferença é irrelevante. Afinal, o senhor também é proprietário dos vinhedos de Clerc Milon, que ficam na mesma aldeia do Mouton. O solo é o mesmo, a vindima é feita na mesma época, a poda é a mesma e o esmagamento das uvas se faz na mesma ocasião, o mosto resultante vai para barris absolutamente idênticos. Ambos os vinhos são engarrafados ao mesmo tempo. Pode-se afirmar que os vinhos são iguais, apenas com uma pequeníssima diferença geográfica.
Rothschild, então, com a discrição que sempre foi a sua marca, puxa o sommelier pelo braço e murmura-lhe ao ouvido:
- Quando voltar para casa esta noite peça à sua namorada para se despir completamente. Escolha dois orifícios do corpo dela muito próximos um do outro e faça um teste de olfato. Você perceberá a sutil diferença que pode haver numa pequeníssima distância geográfica.

DEU BODE

Turista nãoi pode mais fumar um morrão desses nos cafés holandeses

Justiça holandesa proíbe venda de
maconha para turistas estrangeiros

A Justiça da Holanda confirmou ontem o plano do governo que proíbe a compra de maconha por turistas estrangeiros em cafés.
A partir da nova medida, que entra em vigor terça dia 1º, apenas holandeses e residentes permanentes cadastrados poderão comprar a droga.
O reforço nas políticas contra drogas acontece devido a uma rede de tráfico que comprava a droga na Holanda para revender na fronteira com a Alemanha e a Bélgica. 
As vendas causaram aumento da criminalidade nas regiões limítrofes e problemas diplomáticos com os vizinhos.
A nova lei limita em 2.000 o número de frequentadores dos cerca de 650 cafés autorizados a vender a droga no país, que serão cadastrados pelos proprietários, e forçará as prefeituras a reforçarem o controle de entrada e saída dos estabelecimentos.
Antes da lei, os cafés eram proibidos de vender bebidas alcoólicas e não permitiam a entrada de menores de 18 anos. 
O governo do país afirmou que não haverá exceção, incluída a cidade de Amsterdã, principal destino turístico do país.
"Amsterdã terá que reforçar esta política", afirmou Job van de Sande, porta-voz do Ministro de Segurança e Justiça.
O advogado dos donos dos cafés autorizados a vender a droga, Maurice Veldman, afirmou que vai entrar com um recurso na corte nacional de Haia contra a proibição.
Apesar do apoio à medida em boa parte do país, os moradores de Amsterdã não concordam com a proibição. 
A porta-voz da prefeitura, Tahira Limon, afirma que a lei não resolve o problema da tráfico e cria novos, como a venda de maconha por traficantes de drogas pesadas, como cocaína e heroína.
A representante afirma que 23% dos cerca de 5 milhões de turistas que visitam o país vão a um café que vende a droga durante sua estadia.
A medida ainda pode ser revista, já que o governo conservador, que enviou a proibição, foi dissolvido no último sábado, dia 21.

Emoção leiga

Gilberto Costa


Suas madeixas pareciam veios
Escorrendo no leito da blusa,
Como que indo ao destino dos seios!

A mão dela, suave e intrusa,
Desentrelaçava suas pontas
Numa ritualística a me invejar!

Minhas pálpebras, meio tontas,
Estavam prestes a calejar
E doíam com aquela imagem!

Não sabia eu, o destino da viagem
Dela. Ela tinha uma tez meiga,
Bela como uma campina!

E senti uma emoção leiga
Olhando aquela menina!

O Pescador e a Cobra Verde

Via Humoreco...

O pescador contando aos amigos:
- Um dia eu estava pescando e fiquei sem isca. Vi uma cobra verde com uma rã na boca e não tive dúvidas. Pequei a rã, cortei-a em pedaços e fiz várias iscas. Fiquei com pena da cobra e, para compensá-la, despejei um pouco de cachaça na sua boca.
- Meia hora depois sinto alguma coisa bater no meu pé. Era a cobra com mais duas rãs!!!

Dentadas

"Não faça merda com seu titulo de eleitor,o vaso pode ser você"...
*Caco Dentão*

Divertimento dos velhinhos

A velhinha de oitenta, brincava com o velhinho de oitenta e cinco na cozinha, passou a mão no pau dele. Ele ficou puto e disse:
- Véa, tu deixa de frescura se não eu te como!
A velhinha perguntou:
- O que tá esperando?
- Qui essa pôrra indureça...

Encontro de Marketing Politico traz palestras de Pajá Tocha e Nelhão Benevolo neste domingo em Laginhas

Neste domingo o Distrito de Laginhas vai sediar o Encontro de Marketing Político. Serão vários painéis e palestras com convidados ilustres, dentre eles políticos, jornalistas e profissionais envolvidos diretamente com as disputas eleitorais.
No domingo a primeira palestra a partir das 21hs, será do ex-ministro Pajá Tocha (PBF) com o tema “O Cenário Político do Seridó”. Em seguida serão várias palestras com temas variados como “Regras para Não Prestação de Contas Eleitorais” e “Correios – Produtos para campanhas eleitorais”, “A Conquista através do Lero”, “O Poder Podre das Mídias nas Eleições”, “Os Jingles Eleitorais e Suas Mentiras” “Marketing Eleitoral – Foco no Resultado” “A Pesquisa Eleitoral que Não Funciona” e “Novas Tendências para Comprar e Vender as Eleições Municipais 2012”, esta última com o pré-candidato a prefeito de Natal pelo PBF Nelhão Benevolo.

RYFFS anuncia programação para o dia do trabalhador

A RYFFS entretendimento maior empresa do estado já está com sua programação definida para comemorar o dia do trabalhador, em 1 de maio em Caicó. O dia será marcado por atividades de esporte, lazer, cultura, serviços de saúde e de beleza, das 7 as 16 horas na sede da empresa, no bairro Acampamento.
Além disso, a programação ainda traz torneios esportivos, aulas de ginastica, oficinas de arte, recreação infantil, palhaços contando historias, bibliotecas, apresentações teatrais, parques infláveis e jogos de salão e aulão de aeroaxé. Os shows musicais ficam por conta de João Damásio e Banda, além de Maluquinho do Brega com o “Tributo a Wando”.

Chef Aramin mostra o novo cardápio para a Feirinha de Ferreirinha

Um seleto grupo de frequentadores da "Feirinha de Ferreirinha" degustou na noite de ontem pratos que dependendo da parceria ser concretizada, serão oferecidos durante a festa mais gostosa da Festa de Santana de Caicó. A degustação foi oferecida pelo chef de cozinha Aramin Spit, hoje o chef de cozinha mais respeitado da cidade. Aramin diz ter viajado por muitos lugares atrás de novidades para seus cardápios, e através de amigos cozinheiros conseguiu mais conhecimento da culinária nacional. “Meu maior interesse é mostrar o meu novo trabalho. E com esta parceria continuar sempre inovando. Iremos fazer uma mistura da culinária regional com a nacional”, explicou.
Na degustação para os convidados, Aramin serviu como entrada uma massa leve com carne de sol e nata; depois um vinagrete de camarão apresentado de uma forma leve, na sequencia um camarão caribenho com uma fritura leve, e encerrou com mousse de abóbora com carne de sol e queijo. “Uma festa como essa de Ferreirinha a turma que às vezes exagera um pouco na cachaça, uísque e cerveja necessita de um cardápio não muito exagerado”, brincou. A mesa de convidados era comandada pelo presidente do PBF empresário Bibica Di Barreira, Chico Lavanca,Xexéu Dias, dirigentes da RYFFS, profissionais de imprensa e políticos.

Duas coisinhas pra te contar

Pescada lá no Bira Viegas...
Ele: Amor, tenho DUAS coisinhas pra te falar…
Ela: E eu tenho uma.
Ele: Deixa eu começar?!
Ela: Não. A minha é mais importante!
Ele: Tudo bem. Fala linda, mas saiba que eu te amo muito!
Ela: Então, sabe o Marcos do time de futebol da escola, aquele garoto lindo?! Então. Eu te traí com ele. Ele me deu uma carona e fomos pra casa dele. Você sabe que eu sempre fui a fim dele. Agora ele quer ficar comigo e eu não posso desperdiçar. Me desculpa, mas além de ser lindo, ele tem um carro, e você é pobre, anda de bicicleta, seu pai é médico do time da escola, não tem um bom salário e você não vai ter um futuro promissor, e eu ainda quero ser rica.
Ele: Ah, mas pelo menos usou camisinha?
Ela: HAHA (risada irônica), na hora eu até esqueci disso! Mas você não tá nervoso, triste?
Ele: Não, mas agora posso contar as minhas coisas?
Ela: Pode!
Ele: Então, sabe aquele R$1,50 que sobrou do nosso sorvete?
Ela: Sei sim. E olha aí, você conta moedas! O Marcos disse que vai me levar pra jantar fora hoje.
Ele: Huum. Que bom… Continuando: Então, eu joguei esse troco na Mega Sena da Virada e ganhei 150 milhões. Também ouvi meu pai falando que o exame do Marcos deu positivo e ele tem AIDS. E tem mais! O carro dele era roubado, ele tá preso agora e torça pra não estar gravida, hein…
Ela: E agora? O que eu vou fazer?
Ele: Sabe aquele amor que eu te dei?
Ela: Sei… O que que tem?
Ele: Então… Pega ele e enfia no seu cú!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Congresso aprova a venda de remédios em bares

O Congresso Nacional aprovou ontem uma medida provisória que libera a venda de medicamentos em bares, desde que não estejam sujeitos a prescrição médica. O texto prevê que os butecos devem observar “relação a ser elaborada pela ONG dos Biriteiros” posteriormente para a venda dos medicamentos, mas não traz nenhuma regulamentação.O projeto que transforma a medida provisória em lei será encaminhada à sanção da presidente Dilma Roussef.

Pelo bem da humanidade

Por Falcão...

Eu que sou um cara altamente preocupado com o futuro da humanidade e a continuação da espécie, vivo, penso e ajo no intuito de criar e prover artifícios e artefatos para não deixar a vaca homo-sapiense adentrar ao brejo. Ou seja, não só me ponho à disposição, para a qualquer hora do dia ou da noite, atuar procriativamente e povoar a face do planeta com habitantes saudáveis, bonitos e inteligentes; como já idealizei vários planos, máquinas e engenhocas no sentido de confortabilizar e propriciar o bem viver neste planeta, tais como:
- Carro movido à fezes;
- Máquina de mandar políticos à puta-que-os-pariu;
- Calçadas rolantes;
- Palito de fósforo com duas cabeças;
- Papel higiênico com histórias em quadrinhos e etc.
Tudo isso na mais sincera intenção de amenizar os estragos causados pelo estresse, a poluição, o caos no trânsito, o BBB, as CPI’s, o buraco na camada de ozônio, o aumento do nível dos oceanos, as dores corníferas e a câmara municipal...

Não posso dizer que não me lambuzaria de você

Por Nina Rizzi...

Que o que disse são fantasias. éramos adolescentes e corríamos campos de chocolate. coco-caracóis. cria em nossas pernas, super-cordas, a resolver distâncias. elas doíam, mas a dor era breve e boa, que nos acostumavámos fácil em vícios e poemas e pernas. as pernas se enroscavam e se perdiam e se encontravam. paletó e gravata, nós desatados, escharpes liláses.
tinha uns olhos revirados. feito bruma fora de órbita, em meus anéis, seus anelos. meus longos dedos. a mão água-forte. seus olhos suavam suores do cheiro de um deus que criamos. suores que tremiam à água-forte que nos arrebatavam as pernas e dedos.
dançávamos ritos circulares, culturas seculares. giravam nossos sóis e já não tinha medo. dançava. meu corpo era seu palco giratório. sim, dançava e meus sóis te iluminavam o caminho, meus carrilhos. tatuava em mim tuas cores, claras e de misturas e de desenhos e cães e cartolas.
entendíamos de sonhos e eu já não mais precisava tirar férias de mim. que também era você e já não era pranto. o oceano era meu riso, teus dentes, seios coloridos de minhas misturas tatuados em mãos e boca.
minha boca cheia das borboletas que subiam em espirais, a correr pra tuas entranhas e revolver, miscigenar nossas borboletas que se encontram e bailam, giram. morriam uma morte instantânea e bela pra se re-revolver em novos seres que nos tornávamos a cada instante da vida nova e boa.
haviam portas dalíanas. não batia que era sua a casa e eu também. e de chaves nada entendemos. era livre e saía e voltava. pétalas de meus lírios cobriam a ponte que nos unia. a ponte pegadiça que tem teus pés como senha. uníamo-nos humanos, animais, deuses e servos. e era o teu corpo o meu templo. meus braços o teu país.
e já não sou estrangeira, e já não te queda em preconceitos. agora nascemos. os medos e sonhos e prantos e gargalhadas estão inacabados. te esperando. esperando nossas construções.

Pra que um marido?

Numa entrevista, perguntaram para aquela solteirona gostosa por que ela não arrumava um marido. Ela prontamente respondeu:
- Eu já tenho um cachorro que dorme o dia inteiro, um gato que passa todas as noites trepando e fazendo zoada em cima de casa, e um papagaio que só fala putaria. Pra que é que eu vou querer um marido?

Papo rápido

Homem: A gente já não se encontrou em algum lugar antes?
Mulher: Já, e é exatamente por isso que eu não vou mais lá.
Homem: Eu também nunca mais voltei, aquele cabaré só tem mocréia...

Dentadas

“Os políticos aumentaram os seus salários em até 150%, o governo reajustou o dos professores e servidores em geral em 4,5%. E os putos dos politicos ainda querem educação e saúde de qualidade. Vão pra puta que pariu.”
***Caco Dentão***

Valeu Rosalba

Médicos do Estado iniciam greve no próximo domingo (29) a partir das 7h da manhã. O movimento grevista foi definido em assembleia no sindicato da categoria, o Sinmed. Foi motivado pela falta de negociação do governo às reivindicações da classe.
Dentro do regime de greve serão paralisadas todas as atividades eletivas, como consultas, exames e cirurgias, além de se reduzir em 30% os atendimentos de urgência de toda a rede de saúde do estado.
“Infelizmente esgotamos todas as possibilidades de negociação com o Governo. Não podemos continuar trabalhando com uma série de direitos sendo negados aos médicos”, justificou o presidente do Sinmed RN, Geraldo Ferreira...

Caravéa passa por procedimento cirúrgico

Passa bem o pré-candidato a prefeito de Santa Cruz pelo PBF Caravéa, que foi submetido a procedimento cirúrgico no coração na tarde desta quinta em Timbauba dos Batistas. Caravéa colocou seis stents com a equipe médica do hospital Alberto Batista e deve retornar a Santa Cruz assim que receber alta. Com todo o gás para enfrentar a campanha municipal...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Terraço estreia happy hour com MPB

Kanelinha vai cantar no Happy Hour com MPB, hoje, no Terraço
O Terraço Petiscos e Greelhados, a sucursal do Bar de Ferreirinha em Natal, estreia hoje o seu happy hour com música popular brasileira ao vivo.
A partir das 20h o som começa com Kanelinha, tocando os maiores sucessos da MPB, em formato pocket show, acompanhado de um teclado.
Além do som, o bate-papo e a comidinha de boteco de primeira.
Imperdível, hoje no Terraço Petiscos e Grelhados: Happy Hour com MPB e Kanelinha.
Fica em Capim Macio, próximo à UNP.
Outras informações pelo telefone (84) 9422-6886.

STF retoma hoje julgamento das cotas raciais

O julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a constitucionalidade do sistema de cotas raciais da UnB (Universidade de Brasília) será retomado hoje às 14h.
Segundo a ação, ajuizada pelo DEM em 2009, com o sistema estão sendo violados diversos preceitos fundamentais fixados pela Constituição de 1988, como a dignidade da pessoa humana, o preconceito de cor e a discriminação, afetando o próprio combate ao racismo. 
O julgamento foi iniciado ontem.
O relator do processo, ministro Ricardo Lewandowski, julgou improcedente o pedido do DEM e considerou constitucional o sistema de cotas adotado pela UnB.
Antes do relator, 13 pessoas fizeram sustentações orais sobre o caso, contra e a favor as cotas.
Contra o sistema se manifestaram a advogada do DEM (Partido dos Democratas, que é autor da ação), Roberta Kauffman; Juliana Corrêa, representante do Movimento Pardo Mestiço Brasileiro; e Wanda Cerqueira, do Movimento Contra o Desvirtuamento do Espírito da Política de Ações Afirmativas nas Universidades Federais.
As outras dez falas foram pró-cota, incluindo a do Advogado-Geral da União, Luis Inácio Adams; a da vice-Procuradora-Geral da República, Deborah Duprat; e a do advogado Márcio Thomaz Bastos, que representa a Anaad (Associação Nacional de Advogados Afrodescentes).

Feios se dão bem com mulher bêbada

Mulheres perdem o controle de qualidade da beleza depois de beber umas
Pesquisa da UTB diz que mulheres 
são mais “enganadas” pelo álcool

Pesquisadores da Universidade de Timbaúba dos Batistas (UTB) descobriram que as mulheres acham todo mundo mais atraente depois de tomar alguns drinques. 
Os cientistas pediram pra mais de 100 homens e mulheres que dessem notas a seus pares apenas pelo rosto, entre outros testes. 
Enquanto alguns fizeram o teste bebendo uma vodca forte e tônica, outros tomavam um drinque não alcoólico com gosto parecido. 
Depois de bêbados, os participantes tinham mais dificuldades para reconhecer os rostos simétricos e reconhecer a beleza de cada um. 
E as mulheres eram piores nessa tarefa. 
Ou seja, você – cara feio ou sem atrativos – pode ser dar melhor na balada depois de umas biritas. 
O problema será o dia seguinte.
Então, tente mandar bem para ela se apaixonar por você antes de acordar.