terça-feira, 31 de julho de 2012

De olho no mundo - 52

31 de julho de 2012

cardápio da imprensa
Enfim, chegamos à semana de estreia do esperado julgamento do mensalão petista. Para muitos especialistas, o maior julgamento da história brasileira. No centro da cena, o Supremo Tribunal Federal e a expectativa da sociedade para que seus ministros julguem os réus da forma mais equilibrada possível e não se acanhem em aplicar penas que se apresentarem inequívocas. Há quem aposte numa tendência de punição por parte do STF, como forma de acabar com o sentimento de impunidade generalizada que assola o país. Mas também há bolsas de apostas em que predominam as previsões de absolvição. Para o ex-presidente do Supremo Carlos Velloso deverão ocorrer absolvições e penas mínimas, porque os réus são primários e sem antecedentes criminais.

O ministro do Supremo Dias Toffoli afirmou a amigos que não vê motivos para declarar-se impedido de participar, como juiz, do julgamento do mensalão petista. Com a palavra, o jornalista Josias de Souza: "Toffoli foi enviado ao Supremo por Lula, de quem é amigo e a cujo governo serviu como Advogado-Geral da União. Antes, trabalhara como assessor da Casa Civil na época em que a repartição era chefiada pelo réu José Dirceu. Antes, advogara para o PT junto à Justiça Eleitoral. Antes, fora sócio no escritório da advogada Roberta Maria Rangel, sua atual namorada, que já respondeu pela defesa dos réus mensaleiros Professor Luizinho (PT-SP) e Paulo Rocha (PT-PA). Antes, atuara como assessor da liderança do PT na Câmara. Ou seja, nunca antes na história centenária do Supremo um ministro carregou na biografia tantas razões para declarar-se impedido de atuar num processo. Mas Toffoli não se dá por achado".
Talvez esteja na afirmativa do prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho, ex-ministro do governo Lula da Silva, a melhor explicação para o petismo sequer considerar a possibilidade de Dias Toffoli declarar-se impedido: “Ele não tem esse direito”. Ou seja, o homem parece não ser reconhecido apenas como um ministro do Supremo que é, mas, também e sempre, como um militante do PT e devedor de fidelidade partidária.
Há um grande trabalho de bastidores para tentar acalmar o ex-deputado Roberto Jefferson. O homem que batizou de mensalão e jogou no ventilador o escândalo petista, além de humilhar Zé Dirceu publicamente com o famoso recado “Sai daí, Zé”, agora anda dizendo que foi um erro poupar Lula da Silva e promete esclarecer, durante o julgamento, a participação do Guia de Alambique no conjunto de patifarias. Advogado, Jefferson ameaça inclusive fazer a própria defesa no Supremo, o que poderá virar um capítulo eletrizante.
Outro capítulo eletrizante poderá ter origem no instinto de sobrevivência dos réus. A partir do momento em que a possibilidade de punição ganhou contornos reais, aquele discurso afinadinho do início do processo deu lugar a um cenário de pesadas acusações de uns contra os outros, gerando um ambiente cada vez mais ríspido de cada um por si. Até com ameaças de surgirem vídeos inéditos e bombásticos.
Entre os mistérios mais insondáveis que cercam o julgamento do mensalão estão a monta e a origem da verdadeira fortuna que vai migrar dos réus para os advogados de defesa. A respeito disso, escreveu o jornalista Ancelmo Gois: “A Ação Penal 470, conhecida pela alcunha de mensalão, deve aquecer o mercado de advogados. É difícil saber quanto vão embolsar no total os mais de cem profissionais envolvidos no julgamento. Defensor do Banco Rural no caso, um dos maiores honorários deve ser, naturalmente, de Márcio Thomaz Bastos, que, como se sabe, cobrou R$ 15 milhões para defender Cachoeira. Com todo o respeito”.
Não são poucos os petistas encastelados no governo Dilma que andam com os dedinhos cruzados e pedindo a Deus para que o PT e sua militância guiada, estudantes comprados da UNE e sindicalistas profissionais da CUT não façam arruaças durante o julgamento do mensalão. Por dois motivos: não vão conseguir mudar uma vírgula no destino dos réus, e podem assanhar ainda mais os ânimos da opinião pública contra o petismo de forma geral.
No grupo íntimo da presidente Dilma Rousseff já se tem como certo que uma eventual absolvição de Zé Dirceu será fonte imediata de problemas. Afinal, é o que se analisa no Planalto, se ficar livre de problemas com a lei, o estrategista trapalhão irá com tudo para cima do governo, em busca de espaço de poder e bons negócios.
Na visão do próprio Dirceu, talvez o quadro seja outro. Em depressão profunda, ele acha que não escapará de uma condenação e poderá até ser preso para servir de exemplo e atender ao desejo de punição da sociedade.
Amigos do ex-ministro andam dizendo que pretendem recorrer a cortes internacionais caso ele seja condenado pelo Supremo. Coisa de Pila-Perfeito idiota latino-americano de carteirinha. Essa gente não tem mesmo senso de ridículo, santo Deus!
O governo está utilizando um novo pacote de concessões – o nome petista para privatizações – como forma de curar-se do último surto intervencionista. Deve ter percebido que é impossível manter um ambiente de crescimento sustentável sem realizar investimentos em infraestrutura e sem contar com a participação do capital privado. De Collor de Mello a Dilma Rousseff, mantém-se em curso, sem interrupção, o mesmo conjunto de medidas privatizantes que apenas assumiu o tom do ocupante de ocasião do Palácio do Planalto.
Depois da patacoada, finalmente o governo brasileiro caiu na real e começa a estudar a melhor maneira de patrocinar a volta do Paraguai ao Mercosul.
José Reguffe foi apontado como boa-nova ao assumir sua cadeira na Câmara dos Deputados. Chegou fazendo marola e ganhando espaço na mídia porque devolvia verbas de gabinete e pregava moralidade. Durou pouco no papel. Sabe-se agora que, por meio de um daqueles atos secretos de Agaciel Maia, o rapazola virou funcionário fantasma do Senado. Pelo mesmo instrumento e pela mesma caneta também ganhou cargo no gabinete do tio senador Sérgio Machado. Para completar a pajelança, Reguffe pagou dívidas eleitorais sem abrir a própria carteira. Pelo visto, mais do mesmo.
Depois de marcar época no varejo, o Mappin foi vitimado por administrações desastradas e fechou as portas numa falência rumorosa, que deixou atrás de si, pelas mãos de Ricardo Mansur, um passivo superior a R$ 1 bilhão e mais de 4,5 mil desempregados. Assim, tristemente, apagou-se a cena que dominou por décadas o calçadão que juntava a Praça Ramos de Azevedo ao vizinho Viaduto do Chá, no Vale do Anhangabaú, em São Paulo. Agora, surge a notícia de que a Marabraz, empresa que adquiriu em leilão a marca do antigo magazine, pretende abrir novas lojas Mappin no início de 2013. Mas elas terão pouca semelhança com a lendária Casa Anglo-Brasileira, até hoje um dos maiores ícones comerciais na memória dos paulistanos.
Os ingleses descobriam Neymar. Ele vem sendo tratado como “cai-cai” e anda fazendo a festa dos humoristas britânicos, em razão daquela mania antiesportiva de tentar cavar faltas se atirando no gramado.

Só há duas alternativas para compreender esse pai de santo que se vangloria de ter salvado Fernando Collor da desgraça matando 400 búfalos: o cabra ou trabalha para algum açougue, ou cometeu crime ambiental. E ainda é alcaguete, denunciando minha querida Maria Padilha.

Zé Prativaicom dificuldade para incorporar a história contada pelo pai de santo Ralf Genary.

alarido
O mal das encrencas é que elas começam bem devagarinho.”
(Millôr Fernandes, gênio da raça)

“É voz corrente em cada canto desta Casa, em cada fundo de plenário, em cada banheiro, que o senhor Delúbio, tendo como pombo-correio o senhor Marcos Valério, um carequinha que é publicitário lá em Minas Gerais, repassa dinheiro a partidos que compõem a base de sustentação do governo, num negócio chamado mensalão.”
(Roberto Jefferson, então deputado federal, diante das câmeras de televisão em 6 de junho de 2005, trazendo à luz com nome e sobrenome o maior escândalo de corrupção já acontecido no Brasil, que pagou R$ 55 milhões a 18 parlamentares da base alugada entre 2003 e 2004)

“Dificilmente escaparei.”
(Zé Dirceu, desabafando com amigos a respeito do cenário que enxerga par si no julgamento do mensalão petista)

“Serei um símbolo desse julgamento.”
(Idem)

“Desenvolveu tanto a arte da mentira que todos acreditam nele.”
(Millôr Fernandes, gênio da raça)

“Eu me sinto traído. Traído por práticas inaceitáveis das quais nunca tive conhecimento. Não tenho nenhuma vergonha de dizer ao povo brasileiro que nós temos de pedir desculpas. O PT tem de pedir desculpas. O governo, onde errou, tem de pedir desculpas.”
(Lula da Silva, então presidente da República, humilhado, em rede nacional de tevê no dia 12 de agosto de 2005, num arremedo de desculpas aos brasileiros pelo mensalão petista que agora insiste em dizer que não existiu)

“Lula não só sabia do mensalão, como ordenou toda essa lambança.”
(Luis Francisco Correa Barbosa, advogado de Roberto Jefferson, antecipando o tom que poderá usar durante o julgamento no Supremo)

“Se já é estranho a mãe de um governador aliado dar ganho de causa a réus do mensalão a menos de 15 dias do julgamento no Supremo Tribunal Federal, mais grave ainda é um ministro do STF que foi advogado do PT admitir a hipótese de participar desse julgamento [...] Parece jogo combinado. Ou o tapetão. Ana Arraes baixa a bola e lança, Toffoli chuta. E os mensaleiros comemoram.”
(Mary Zaidan, jornalista)

“O relatório eticamente criminoso de dona Ana Arraes e aceito pelos demais ministros do TCU só demonstra que o mensalão ainda não morreu de todo; continua a gerar frutos negativos.”
(Reinaldo Azevedo, jornalista)

“Neste momento o STF passa a ser julgado pela opinião pública.”
(Eliana Calmon, ministra do CNJ, a respeito das expectativas que cercam o julgamento do mensalão petista no Supremo)

“Desta vez é inegável que de alguma forma o Judiciário estará submetido a julgamento.”
(Dora Kramer, jornalista, a respeito do mesmo tema)

“Zé Dirceu quer dar relevo à imagem do militante para mitigar a do ‘consultor de empresas privadas’, aquele do rendez-vouz, que se esgueirava em quartos de hotel com autoridades do governo, de estatais e do Congresso.”
(Reinaldo Azevedo, jornalista, a respeito das manobras pirotécnicas que Zé Dirceu tem empreendido por conta do julgamento no Supremo)

“Marcos Valério tinha relação com o partido, ele fez coisas com o partido. Eu nunca acompanhei isso. Então, quem pariu Mateus que o embale, né, meu querido?!”
(Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, engrossando o jogo de empurra que cerca o mensalão petista)

“A mesma Receita Federal que enche o saco do cidadão comum com seu rigor leonino, bem que deveria investigar de onde esses mensaleiros petistas tiraram tanto dinheiro para bancar essa enxurrada de advogados caríssimos que vão desfilar Supremo.”
(Zé Prativai, nosso filósofo de estimação, incapaz de entender a multiplicação de dinheiro dessa gente)

“Sobrou dinheiro – parte dele público – para financiar esse movimento político e jurídico. Dinheiro que bancou para os mensaleiros o melhor da advocacia (e o pior do jornalismo). Delúbio, embora diga que não tem um centavo, é defendido desde o começo do caso pelo criminalista Arnaldo Malheiros Filho. Blogs de ex-jornalistas, quase todos com patrocínios de estatais e ministérios, dedicam-se há anos a tentar “desmistificar” o mensalão, atacando ferozmente a reputação de quem quer que atravesse o caminho do PT.”
(Diego Escosteguy, jornalista)
moleskine
A partir de 5 de agosto minha terra Acari se entrega à festa da nossa padroeira, Nossa Senhora da Guia. A possibilidade desse reencontro na cidadezinha sossegada vai muito além do cenário religioso, pois nos permite estar com parentes e amigos e festejar nosso orgulho sertanejo. É como se, durante os dez dias da Festa de Agosto, a gente mexesse na caixa das melhores lembranças, revirasse as fotografias que traduzem cenas de vida inteira. Estamos todos chegando e já se ouve a algazarra que nos move em cada agosto.

Pizzaria Brasil - 4

Cláudio Oliveira
(Chargista potiguar que publica no jornal Agora SP. É autor do livro Pizzaria Brasil).

Começa o mensalão

Ivar Hartmann

Mensalão, para quem não lembra (?), foi o título dado pelo presidente nacional do PTB para as mensalidades supostamente pagas a políticos aliados de Lula, por José Dirceu, seu braço direito, aproveitando uma extensa rede de corrupção. O objetivo era facilitar a vida do Governo Federal. 
Foi o maior escândalo político brasileiro: pela primeira vez, de forma organizada, com recursos advindos de várias fontes e aproveitando até um banco, administrou-se de forma permanente a entrega de dinheiro pelo Executivo a membros do Legislativo, visando cooptá-los. 
Pela compra! Voto virou mercadoria à disposição, e muitos receberam parcelas mensais (daí o nome) para formar ao lado do Governo. Pelo que ficou apurado no inquérito, a Casa Civil de Dirceu, seria a sede do negócio. Caixa 2 é outra coisa: é dinheiro não contabilizado, doado por empresas que escondem parte dos lucros de forma ilegal e usados secretamente por partidos e políticos. 
Como se vê, ambas as práticas são criminosas, mas, como Caixa 2 é crime menos grave que Mensalão, e é impossível negar os fatos ocorridos, a defesa de muitos denunciados perante o STF vai optar por confessar que seus clientes fizeram Caixa 2. Também já está acertado que o denunciado Delúbio – certamente em troca de presentes inesquecíveis – vai assumir o esquema, enquanto José Dirceu vai posar de inocente. Os primeiros passos do bailado dos réus já foram dados: um dos ministros do Supremo, indicado por Lula, é ex-advogado do PT e homem de confiança do réu Dirceu.
Ao mesmo tempo o ato de desagravo em prol do réu Delúbio, feito a semana passada em Brasília, foi um fiasco porque a militância petista não compareceu. Pura cena. Isso é o que tinha sido acertado: Delúbio aceita a culpa, é o bandidão do filme, ninguém comparece para prestigiá-lo. Dirceu se diz inocente: reúne-se uma massa de manobra e se faz um grande ato público em seu favor. Teatro puro. 
Os réus tentaram prorrogar o julgamento, mas a força da moral do Presidente do STF impediu e os sócios da Companhia criada para acertar a compra e venda de consciências, vão ser julgados por seus crimes. É o maior processo político da História do Brasil e a população vai aguardar os Ministros do Supremo. Não há preocupação: os réus, uma vez condenados, não vão amargar uma cela.
O que está em jogo é as suas reputações e o exemplo para os que lesam o Estado.

Moderno

Millôr Fernandes...

Moderno. Moderno em relação a quê? Moderno é apenas um pressuposto cronológico.
Se o rádio tivesse sido inventado depois da televisão as crianças sairiam correndo, maravilhada:
"-Mamãe, mamãe, inventaram uma televisão sem cara!"

Petralhimpíadas

Por Huytamar Freitas...

Vivemos a época das competições, esportivas ou não e não poderíamos perder essa grande oportunidade de mostrar ao mundo nossos talendos.
Seria um banho, tal a capacidade dos nossos competidores!
A infra-estrutura já está toda pronta, mas um aporte de 500 bilhões de dólares, já foi solicitado pelo comitê organizador, para bancar as licitações fraudadas, as escolas que deseducam, os hospitais que não curam, a conservação dos buracos nas estradas, as forças de segurança sucateadas, além de acelerar o processo de imobilidade urbana das cidades.
Tudo pronto e antecipadamente, afinal as obras começaram em Janeiro de 2003.
Eis alguns de nossos competidores e suas respectivas modalidades corruptivas:
a) SARNEY: competidor da primeira hora, é imbatível em nepotismo político.
b) COLLOR: chegou a pouco tempo, mas já se tornou um notável campeão de “cara-de-pauismo” e a medeira é o Ipê-roxo.
c) Genoíno, Dr. Rosinha, Waldemar, João Paulo, Okamoto, Jefferson (todo time tem um bad-boy), Delúbio (astro do time), Palocci, Rands, Wellington Dias e João da Bosta: formam a insuperável equipe de “FUTEBOLA”, cujos nomes dos reservas não daria para descrever nesse artigo, por falta de espaço e tempo.
d) Idelí, Foster, Guadagnin e Erenice: formam a equipe das beldades que disputará, como favoritas absolutas, a dança da pizza.
e) DILMA: “nada” sincronizado. Outra medalha garantida!
f) ZÉDIRCEU: campeão insuperável de “levantamento de mala”. Vitória indubitável!
g) LULA, grande chefe do comitê organizador e “horse concu” nas provas de petralhipismo. Escondam dele as medalhas!
h) “TOTÓFOLLI”: para garantir a lisura dos jogos, foi nomeado pelo “grande-chefe” como responsável pela aplicação das regras e normas do evento.

Colada na tua boca

Por Lena Lopez...

Quero na tua boca me acabar
E da tua língua extrair o meu prazer
Sentir teus movimentos circulantes
No meu ponto mais sensível
Oferecendo-te o néctar
Para que bebas sofregamente
Percorra devagar as pétalas
Da minha flor desabrochada
Aberta e disponível aos teus caprichos
Brindando-te com o sabor do meu tesão
Misture ao meu mel
A tua saliva morna
Cubra a minha intimidade
Com a tua boca morna
Sorva os meus fluidos
Saboreia-me com malícia
Por que eu quero um orgasmo
Intenso e demorado
Muito mais que isso
Gozar colada na tua boca...

Empréstimo

O cara chega ao banco e vai até o gerente:
- Posso falar com o senhor um minutinho?
- Claro! Sente-se por favor!
- Se o senhor não se incomoda, eu gostaria de que a gente conversasse ali no fundo.
- Ora, mas por quê não pode ser aqui na minha mesa?
- É que eu estou precisando de um dinheiro emprestado, e me disseram que apesar de trambiqueiro, no fundo o senhor é um bom sujeito…

Pergunta e resposta féla da puta

O que uma loira vai fazer numa loja de R$ 1,99?
- Pesquisa de preço!

O emprego

Um sujeito vai visitar um amigo deputado e aproveita para lhe pedir um emprego para o seu filho que tinha acabado de completar o supletivo do 1ºgrau.
- Eu tenho uma vaga de assessor, só que o salário não é muito bom…
- Quanto doutor?
- Pouco mais de 10 mil reais!
- Dez Mil? Mas é muito dinheiro para o garoto! Ele não vai saber o que fazer com tudo isso não, doutor! Não tem uma vaguinha mais modesta?
- Só se for para trabalhar na Assembléia. Meio período e eles estão pagando só 7 mil!
- Ainda é muito doutor! Isso vai acabar estrangando o menino!
- Bom, então tenho uma de consultor. Estão pagando 5 mil reais por mês, serve?
- Isso tudo é muito ainda, doutor. O Senhor não tem um emprego que pagasse uns mil e quinhentos ou até dois mil reais?
- Ter até tenho, mas aí é só por concurso e é para quem tem curso superior, pós graduação ou mestrado, bons conhecimentos em informática, domínio da língua portuguesa e conhecimentos gerais.Além do mais ele terá que comparecer ao trabalho todos os dias...

Ser pobre é foda

Um cara chega na cidade de Mossoró, foi se informar onde era o cabaré, e logo indicaram para ele.Assim que ele chega na casa indicada, lá tem uma porta grande escrito ENTRADA e ele entra.Sai numa sala grande e tem outras portas, uma tá escrito BONITOS outra FEIOS, ele como não é bonito entra na segunda porta.Ai ele sai noutra sala com mais 2 portas uma escrita ALTOS outra BAIXOS, ele como é baixo entra nessa porta.Novamente outra sala com mais 2 portas RICOS e POBRES e ele entra na porta dos pobres agora. Ai ele sai na rua de novo…
Ser POBRE É FODA...

Começam na próxima sexta-feira as inscrições para o vestibular da UTB

Na próxima sexta-feira começam as inscrições para o Vestibular 2013 da Universidade de Timbauba dos Batistas(UTB). Este ano estão sendo oferecidas 9.969 vagas, sendo 50% das vagas destinadas ao sistema de cotas de inclusão, que envolvem alunos oriundos da rede pública de ensino, e as outras 50% para o sistema de cota universal. A inscrição poderá ser feita pela internet e custará R$ 10. As inscrições vão ocorrer até o dia 30 de agosto e os estudantes vão ter 99 cursos de graduação entre as opções.Além das vagas destinadas ao processo seletivo tradicional da instituição, também estão sendo ofertadas 9.569 vagas para serem preenchidas através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os estudantes serão analisados mediante a prova do Enem. “Este ano decidimos aumentar em 50% o número de vagas destinadas ao Sisu”, afirmou a reitora da UTB, Alice Batista. A reitora da UTB disse que a expectativa é o número de inscritos seja semelhante ao de 2011, quando se inscreveram 169 mil candidatos. No dia 1 de setembro, após o fim das inscrições, será preparado pela UTB o esquema operacional para que o vestiular seja realizado sem qualquer imprevisto.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Em 2013 tem Festa de Sant'Ana de novo

Acabou: foram dias de muita alegria, fé, devoção, festas, farras, encontros e reencontros que deixaram muitas saudades.
Mas o bom de tudo é que em 2013 tem Festa de Sant'Ana de novo.
Caicó amanhece nesta segunda-feira, dia 30 de julho, feliz e de ânimo renovado com a realização de mais um extraordinário evento, que é Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.
Para os defensores do Caicocentrismo - tese científica que assegura ser Caicó o centro do Universo - o ano novo na capital da Civilização do Seridó começa depois da Festa de Sant'Ana.
E já a partir de hoje, mãos à obra: os fieis e devotos começam a preparar a Festa de Sant'Ana de 2013, para nova rodada de grandes emoções, encontros, reencontros, alegria, fé, devoção, festas e farras.
Porque fazer esta festa é a razão da existência desta cidade.
Viva Sant'Ana de Caicó!

Mega-Sena acumula

Quarta-feira tem super
prêmio de R$ 42 milhões

A Mega-Sena acumulou e deve pagar R$ 42 milhões na próxima quarta-feira, dia 1° de agosto. 
As seis dezenas sorteadas sábado, pelo concurso 1.410, foram: 18 - 29 - 40 - 42 - 50 - 54.
Ninguém acertou a sena da loteria, mas 70 pessoas fizeram a quina e vão receber R$48.372,46, cada. 
Outras 6.917 apostadores acertaram a quadra e vão receber R$699,32, cada uma.

domingo, 29 de julho de 2012

Missa de Encerramento homenageia D. Manoel Tavares

A diocese de Caicó celebrou na manhã deste domingo, 29, a missa solene em honra à Senhora Sant’Ana. A cerimônia foi presidida pelo arcebispo de Natal e ex-bispo de Caicó, dom Jaime Vieira Rocha, seu sucessor, dom frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, e concelebrada pelos membros do clero diocesano.
Durante o momento do ofertório foi lembrado o centenário do terceiro bispo diocesano de Caicó, dom Manoel Tavares de Araújo, e uma de suas maiores obras – a Emissora de Educação Rural de Caicó, fundada por ele em 1963. Funcionários antigos e atuais trouxeram ao altar símbolos que representaram esse marco na história do Seridó.
“Sant’Ana, como dizia dom Tavares, é a matriarca que representa valores que permanecem pelas gerações, onde resta-nos voltarmos para Deus através da riqueza cultural e religiosa, nos reconduzindo pelas estradas da fé. E ajuda a superar o sentimento de fracasso, o desânimo e a pouca fé”, lembrou dom Jaime em sua homilia.
Dom Manoel Delson aproveitou para agradecer a todos que colaboraram com a festa, desde o clero até as equipes pastorais, além dos devotos e peregrinos que participam das homenagens à Senhora Sant’Ana com fé e emoção.
“Obrigado a todos. É uma alegria muita grande ter nessa missa solene, em que também celebramos o centenário de dom Tavares, a presença do nosso arcebispo, dom Jaime Vieira Rocha”, disse dom Delson.
Do blogue de Robson Pires

Novena reúne multidão na Cadetral de Sant'Ana

A Festa de Sant'Ana de Caicó chega à reta final.
Ontem foi celebrada a última novena, presidida pelo bispo diocesano D. Manoel Delson Pedreira para milhares de pessoas, que se aglomeraram no interior da Catedral e ao seu redor.
Um espetáculo de fé e devoção a Sant'Ana, Padroeira de Caicó e da Diocese.
Foi a noite mais concorrida do novenário, especialmente porque é dedicada aos Peregrinos de Sant'Ana, caicoenses ou não, que moram em outros lugares e que, em julho, se reencontram na nave santa ou ao redor da Igreja para rezar e agradecer a Ela pelas graças alcançadas.
O álbum da última novena da Festa de Sant'Ana de Caicó em 2012 você vê AQUI se tiver conta no Facebook.
Hoje, às 10h, haverá a missa solene de encerramento, presidida pelo arcebispo de Natal D. Jaime Vieira Rocha, que foi o quinto Bispo Diocesano de Caicó.
E às 16h, com a recomendação de que todos trajem roupas brancas em sinal de paz, uma multidão vai carregar o andor de Sant'Ana pelas principais ruas da cidade, na monumental Procissão de Encerramento.
Vai deixar saudades, mas também a certeza de que em 2013 todos estarão novamente ao redor Dela, Sant'Ana, nosso amparo, nossa luz.
Salve Sant'Ana!

Metasaudade

Moni Saraiva
Se saudade é abstrata,
Palavra inexata
Essa eu desconheço
Pois a saudade da qual padeço
Tem corpo, tem peso
Tem gosto de sal
Ora sintagma coeso
Ora texto de chanchada nacional.
Conjunção dos sentidos, sobrenome
Que a meus predicados consome.
Saudade minha, exclusiva,
E ainda assim, plural.
E a tua saudade imprecisa
Mora em que tempo verbal?

Bibica parabeniza judocas brasileiros

O pré-candidato a Presidente da República parabenizou os atletas brasileiros que conquistaram medalhas ontem nas Olimpíadas de Londres. 
Depois de participar de uma farra ontem no Beirute, Bibica disse por meio de nota, que recebeu com satisfação a “feliz notícia” do ouro da judoca Sarah Menezes, e do bronze de Felipe Kitadai. 
“Em nome de todos caicoenses, quero parabenizar os dois atletas pela brilhante conquista. O Brasil comemora a vitória de seus atletas e a RYFFS se orgulha de ter contribuído para essa conquista pelo importante papel na profissionalização de nossos esportistas”, disse Di Barreira.

Sant'Ana D'Auray - II

Imagens de Sant'Ana dos séculos 16 e 17 na Galeria de Arte Popular da Basílica
29 de julho de 2012
Sant'Ana D'Auray - II
Já me sentia satisfeito com o que escrevi semana passada a respeito da Basílica de Sant'Ana d’Auray. Em conversa com Monsenhor Lucas Batista por ocasião de almoço na casa de sua irmã Ana, casada com Plínio, meu cunhado, notei que ele se interessou em incluir a Basílica no roteiro de suas peregrinações anuais, com turistas, aos grandes santuários da Europa. 
Pediu-me, então, que escrevesse algumas informações úteis, que pudessem ajudá-lo a realizar a nova peregrinação sem encarecer a viagem nem ocupar mais tempo do que o mínimo necessário como exigem as agências de viagens e as operadoras de turismo.
Minhas dicas são estas: em Paris hospedar-se em hotel próximo à estação ferroviária de Montparnasse. Acorde cedo, reserve seu bilhete de passagem para o TGV que parte às sete horas (7h03m). É este o horário mais barato. Preço: R$ 196,00 (ida e volta). Retorne no trem das 15 horas, depois de rápido almoço. Há, entretanto, outros horários antes e depois desse que escolhi. A distância entre Paris e Auray é de 421 quilômetros, percurso que o trem faz em três horas e meia, isto porque na viagem ele faz umas três ou quatro paradas. Permaneci na Basílica cerca de cinco horas (até missa assisti, oportunidade em que Zélia cantou o hino de Sant'Ana, Padroeira de Caicó). Sim, compre o bilhete de passagem de Natal, pela internet, evita perda de tempo, porque ao chegar a Montparnasse é só entrar no trem e seguir viagem sem nenhum outro procedimento. Faça de táxi o percurso entre a estação de trem em Auray e a Basílica, é barato e se ganha tempo.
Não deixe de ver em Sant'Ana d’Auray, além do que já apontei na crônica anterior: A ESCADA SANTA, cuja inauguração deu-se em 21 de outubro de 1662, inspirada em igual escada existente em Roma. Os carmelitas ensinaram aos peregrinos percorrer o monumento meditando sobre a paixão de Cristo.  Para tal fim implantaram ao longo da trajetória diversas imagens representando as cenas do Calvário. A escada, por sua vez, facilitava a realização de cerimônias religiosas campais com a participação de grandes multidões de peregrinos. Em 1870 a Santa Escada foi desmontada pedra por pedra e transportada para o local onde atualmente se encontra e continua sendo intensamente visitada pelos peregrinos.
O MEMORIAL, mais novo dos monumentos que compões o complexo de edifícios da Basílica de Sant'Ana d’Auray, foi construído entre 1922 e 1932 pelos católicos de cinco dioceses da Bretanha, para perpetuar a lembrança dos 240.000 bretões vítimas da guerra de 1914/1918. Nas paredes do monumento estão gravados os nomes de oito mil deles. Nos nichos das paredes internas do memorial estão as imagens de todos os santos e santas padroeiros das dioceses da Bretanha.
A CASA DE YVES NICOLARIZ onde ele viveu com sua esposa, Guilhermina Le Roux, fica a 200 metros da basílica. Aqui ele recebeu as mensagens de Sant'Ana. D’aqui ele com seus companheiros partiram, guiados pelo archote conduzido por Sant'Ana para o local onde encontraram a imagem milagrosa que motivou a construção da atual Basílica. A casa foi danificada por incêndio em 1902; restaurada em 1907.
A GALERIA DE ARTE POPULAR atrai a atenção dos visitantes pela enorme quantidade de ex-votos, retratos, quadros pintados e outros objetos que atestam a gratidão do peregrino por graça alcançada ou testemunham a sua passagem pelo local para, de modo especial, reverenciar Sant'Ana. Aqui se pode apreciar de perto grande número de imagens antigas (séculos XVI e XVII) de Sant'Ana e da Virgem Maria. Diante do tesouro da Basílica e da Galeria de Arte Popular o visitante realmente sente que aqueles objetos sagrados confirmam graças alcançadas e verdadeiros milagres, cujos peregrinos, não raro mortos há mais de século, aqui deixaram como forma de materializar para sempre o seu agradecimento a Sant'Ana.
O ORATÓRIO DE SANT'ANA, situado ao lado do Museu de Tradições dos Bretões, é um lugar de recolhimento. É aqui onde os peregrinos acendem suas velas diante da imagem de Sant'Ana (século 16) lendo a Bíblia.
A CRUZ DE JERUSALEM tem linda história a ser contada. Essa cruz foi conduzida por peregrinos bretões ao longo de dolorosa viagem a Jerusalém em 1885.  Símbolo da forte ligação entre Jerusalém e Sant'Ana d’Auray, ela foi quebrada pela tempestade de 1965 e recolocada em 1985 neste local.
Ao concluir minha visita ao santuário, afastando-me da Basílica em busca do táxi que me levaria à estação de trem, voltei-me pela última vez para Sant'Ana no alto da torre e, de repente, veio-me a sensação de que este santuário não é somente um movimentado templo cristão de peregrinações, mas, além disso, representa a indestrutível e autêntica comprovação de um grande milagre permanente. 
Pus-me, então, a pensar: as aparições de Sant'Ana a Yves Nicolazic ocorreram entre 1623 e 1625. Imediatamente começaram as peregrinações. A capela foi consagrada em 4 de julho de 1628. Já era considerável o número de peregrinos que se dirigiam ao local das aparições. Mas a Basílica só foi aberta aos fieis 244 anos depois, em 1872!
Quando ocorreu a deflagrada da Revolução Francesa Sant'Ana d’Auray já se transformara num dos maiores lugares de peregrinação da Europa. E o furor da Revolução contra a Igreja Católica consta das páginas de todos os historiadores que se ocupam do tema. No mesmo ano de 1789, no início das perseguições, os revolucionários decretaram a abolição do dízimo e todos os bens do clero foram postos à disposição da Nação. Mesmo assim, milagrosamente, sem dinheiro e perseguida, Sant'Ana continuou crescendo, recebendo seus peregrinos! 
A seguir Avignon, território pontifício, é anexado à França e ocupado militarmente.  É decretado o fechamento de todas as escolas de Teologia. Rutura das relações diplomáticas entre a França e a Santa Sé. Proibição dos hábitos religiosos; extinção de todas as ordens. Ocupação de Roma pelas tropas do general Berthier (1798), o Papa Pio VI é preso e como prisioneiro morre na fortaleza de Valence, França. Tempos difíceis e perigosos, mesmo assim, milagrosamente, Sant'Ana d’Auray continuou crescendo, recebendo seus peregrinos! 
As perseguições, violências e injustiças prosseguiram. Em 1809 o Papa Pio VII é preso e deportado para Savona; em 1815 foge para Gênova. 
A Virgem Maria resolveu intervir para pacificar o mundo: Apareceu a Santa Catarina Labouré (1830) sob a denominação de Nossa Senhora das Graças; Em 1846, na montanha La Salette, dando-se a conhecer com o nome de Nossa Senhora da Salete, transmitiu a seus videntes importantes e confirmadas mensagens e profecias. No mesmo ano, as aparições de Nossa Senhora de Lourdes, também na França. E em 1872, a concretização do milagre, a entrega aos fieis da Basílica de Sant'Ana d’Auray. Milagre tão evidente que um ferrenho revolucionário, Guillon, deixou escrito a respeito do que presenciou em Sant'Ana de Auray: “Fechadas todas as portas da capela, os peregrinos encontram sempre por onde entrar. Se pusermos alvenaria acabando com as portas, mesmo assim eles continuarão a vir aqui. E se reduzirmos tudo a cinzas, a praça continuará cheia de peregrinos”! Viva Sant'Ana!
Procurador federal e ex-prefeito de Caicó