sexta-feira, 31 de agosto de 2012

NADICA DE NADA


Salário mínimo chegará 
a quase R$ 671 em 2013

Atenção você que está pensando em trocar o carro, passar as férias na praia ou fazer aquele cruzeiro inesquecível pelas ilhas do Caribe: esqueça!
Bote as barbas de molho porque o governo prevê para 2013 um aumento de 7,9% para o salário mínimo, que passará a ser de R$ 670,95. 
Não dá nem pra melhorar o lanche do meio do expediente.
Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o impacto do reajuste nas contas do governo será de R$ 15,078 bilhões.
Para os aposentados que ganham acima do mínimo, Miriam disse que a correção será de 5%, o mesmo que o INPC de 2012. 
Encolham suas barrigas, senhores aposentados: será menor que a correção do mínimo!
Ela também afirmou que a previsão de déficit para a Previdência no próximo ano é de R$ 34,2 bilhões.
Já a projeção para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2013 é de 4,5%, no centro da meta oficial.  
A estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB), por sua vez, é de crescimento de 4,5%, menor do que os 5,5% previstos na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o mesmo ano. 
O PIB nominal previsto foi de R$ 4,973 trilhões.

Timbaúba vai virar cenário de novela do SBT

Timbaúba dos Batistas será cenário de novela do SBT
Que os rios e açudes de Timbaúba dos Batistas formam um belo e bucólico cenário, ninguém tem dúvida.
Agora, essas belezas naturais serão pano de fundo para uma novela do SBT, por hora com o título O Paraíso é Aqui.
A novela vai substituir Do Outro Lado Rua, que ainda estreará em 20 de setembro. 
O diretor Joaquim Santos esteve em Timbaúba para conhecer as locações, e ficou encantado com o que viu.
Devem estrelar o enredo Graça Batista e Henrique Lantecuera, dois timbaubenses que fazem teatro em São Paulo.

No confessionário


Conversa entre o padre bonitão e a beata assanhada:
- Padre, o Luciano é um Filho da Puta!!
- Não fale assim, minha filha. Todos nós somos irmãos.
- Mas o senhor não sabe o que ele fez...
- E o que ele fez?
- Ele me deu beijo!!!
- Olhe, eu também te dou um beijo e não sou Filho da Puta.
- Ele tirou minha blusa!!!
- Eu também estou tirando sua blusa e não sou Filho da Puta.
- Ele tirou meu soutien!!!
- Eu também estou tirando seu soutien e não sou Filho da Puta.
- Ele tirou minha calcinha!!!!
- Eu também estou tirando sua calcinha e não sou Filho da Puta.
- Ele me comeu!!!!!
- Eu também estou te comendo e não sou Filho da Puta.
- Mas depois...
- Diga, diga, diga...
- Ele me disse que tinha AIDS...
- FILHOOOOOO DA PUTAAAAA!!!!!!!!

Dá série Como pensam homens e mulheres

Deu em Tutty Vasques


Diz a propaganda política dos tucanos em São Paulo que José Serra “não tem medo de cara feia”.
Também, pudera!
Ninguém escapa de uma olhadinha no espelho de vez em quando.
Já o eleitor…

Celso Russomanno virou uma espécie de Atlético Mineiro das eleições em São Paulo.
Ninguém entende muito bem como aconteceu, mas o fato é que ele disparou na frente!

Calma: é só um cogumelo!

Pensando bem...

Já que tem Copa em 2014 e Olimpíadas em 2016, a gente bem que podia imprensar 2015...

Falha nossa

DECISÃO INÉDITA


Pai adotivo gay ganha direito 
a licença-maternidade no RS

Depois de dois anos cuidando do filho adotivo, o bancário Lucimar Quadros da Silva finalmente conseguiu o direito de tirar os quatro meses de licença-maternidade. 
É a primeira vez na história previdenciária do Brasil que o INSS pagará o benefício a um pai adotivo que vive em união estável homossexual. 
Decisões semelhantes anteriores só foram concedidas para pai solteiro e casal gay do sexo feminino. 
A briga começou assim que ele e seu companheiro, o consultor Rafael Gerhardt, saíram do conselho tutelar de Gravataí, na Grande Porto Alegre, com João Vitor no colo. 
Quando entrou com o pedido do benefício no INSS, Lucimar pensou que não teria dificuldades para obtê-lo e repetiria o feito das amigas, um casal de lésbicas que também havia adotado um bebê na mesma época, conseguindo a licença sem atrasos. 
Para Rafael, companheiro de Lucimar, a espera foi surpreendente: "Não imaginava passar três anos na fila de adoção e dois na do INSS". 
Mas o órgão previdenciário recusou o pedido, alegando que a lei é específica ao dizer que o benefício é somente para mulheres. 
Os pais então recorreram e venceram por unanimidade em uma junta do Conselho de Recursos, ligado ao Ministério da Previdência. 
O caso foi parar em Brasília, onde o casal ganhou novamente ao alegar, durante julgamento por videoconferência, que o benefício era para a criança e não para pai ou mãe. 
Sem advogados, porque se trata de recurso administrativo, Lucimar citou o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Constituição Federal. 
A decisão final e unânime saiu na terça-feira passada, obrigando o INSS a pagar quatro meses de salário e a acionar, em até dez dias, o banco Banrisul, empresa onde trabalha Lucimar, que terá de conceder a licença de quatro meses para seu funcionário. 
O casal está junto há 17 anos e resolveu oficializar a relação como união estável para que Rafael tivesse direito ao plano de saúde de Lucimar. Deu certo. 
Agora, Lucimar espera ficar ao lado de João Vitor por quatro meses. 

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Como pensam homens e mulheres

Diário dela
No domingo a noite ele estava estranho. Saímos e fomos até um bar para tomar uma cerveja. A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo. Fomos a um restaurante e ele ainda agindo de modo estranho. Perguntei o que era, e ele disse que nada, que não era eu. Mas não fiquei muito convencida. No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e de toda sua importância. Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros. Finalmente chegamos em casa e eu já estava pensando se ele iria me deixar! Por isso tentei faze-lo falar, mas sem me dar muita bola ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós. Por fim, embora relutante, disse que ia me deitar. Mais ou menos 10 minutos ele veio se deitar também e, para minha surpresa, correspondeu aos meus avanços. Fizemos amor. Mas depois ele ainda parecia muito distraído e adormeceu. Comecei a chorar, chorar, chorar e chorei até adormecer. Já não sei o que fazer. Tenho quase certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.
Diário dele
Puta que pariu! meu Vasco perdeu de novo. Fiquei puto! Ainda tô chateado... Nem vice vai ser mais. Time de bosta... Mas pelo menos dei umazinha. 

Acarmô?


Numa estradinha do interior, o beradeiro dono de um alambique, entra com Corcel 73 na traseira de uma BMW novinha em folha.
O dono da BMW sai como uma fera e vai prá cima do cara, que diz:
- Carma, moço! Que tudo se resorve...
- Resolve nada seu  *&¨%$#!*+#$%!
- Carma, sô!... Toma umazinha aqui, é da minha fazenda e é das boa. Assim o sinhô vai si acarmá...
O cara toma uma..
- Acarmô?
- Acalmei nada!
- Então toma mais uma...
E assim foi, e depois de uma meia dúzia de lapadas de cana, o homem pergunda de novo:
- Acarmô agora, sô?
- Sim, agora sim!
- Intão, agora nóis vamu sentá aqui i chamá a puliça pra fazê o tar di bafômo i nóis vê quem tá errado!

BORRACHUDO


Cai a emissão de 
cheques sem fundos

A proporção de cheques devolvidos por falta de fundos caiu de 2,02% no mês de junho para 2% em julho, apesar de, em números absolutos, o volume ter aumentado de um mês para outro - 1.576.842 ante 1.460.422. 
O total de cheques compensados cresceu de 72,4 milhões em junho para 79 milhões no mês passado. 
A parcela devolvida em julho foi a menor verificada em cinco meses e se igualou ao porcentual de fevereiro, de acordo com a Serasa Experian ao divulgar o Indicador de Cheques Sem Fundos.
O resultado de julho ficou ligeiramente acima do 1,99% observado no mesmo mês de 2011. 
No acumulado de janeiro a julho, o total de devoluções chegou a 2,06% dos cheques, contra 1,94% em igual período do ano passado.
Roraima é o Estado com o maior porcentual de cheques devolvidos nos sete primeiros meses do ano (13,98%) e São Paulo tem o menor (1,53%). 
Na análise por regiões do País, a incidência de cheques sem fundos foi maior no Norte (4,40%) e menor no Sudeste (1,65%).
Baixas taxas de desemprego, ganhos salariais acima da inflação e menor ritmo de crescimento do endividamento dos consumidores levam, gradualmente, ao recuo da inadimplência com cheques.

Conclusão precipitada


Dois amigos conversavam e depois da quarta caneca de vinho, Toinho declarou:
- Sabe Chico, descobri uns lances estranhos e acabei com tudo. Quase  deu morte. Tô na fase da divisão dos bens. Separação é foda.
- Pô, cara, é foda mesmo...
- Tô meio puto, mas agora vou organizar minha vida sozinho e de forma diferente.
- Mas, Toinho, sabe de uma coisa? Foi bem melhor mesmo. Tua mulher tava dando pra todo mundo e os caras que comeram disseram que ela é mais puta que a imperatriz Teodósia de Bizâncio, aquela que gostava de foder com três escravos núbios ao mesmo tempo.
Silêncio.
Toinho escancara a boca, incrédulo:
- Que é isso, Chico: eu me separei foi do meu sócio!
Silêncio total e absoluto.

Governo mantém redução do IPI


Com a exigência de que os empregos nos setores beneficiados sejam mantidos, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem a prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, produtos da linha branca, material de construção, móveis, painéis e luminárias. 
O prazo para a manutenção da medida, porém, vai variar.
No caso dos automóveis, a medida vale até outubro. 
O período menor leva em conta a reação mais rápida do mercado e a perda na arrecadação, prevista em R$ 800 milhões nos próximos dois meses.
Para material de construção, o IPI menor vale até final de 2013. 
Para linha branca, até dezembro desse ano. 
A perda na arrecadação, nos dois casos, é de R$ 1,8 bilhão e R$ 361 milhões, respectivamente. 
A renúncia fiscal com a prorrogação é de R$ 1,6 bilhão neste ano e de R$ 3,9 bilhões no ano que vem. 
Para compensar esse recolhimento menor, o ministro enfatizou que, para todos os benefícios concedidos pelo governo, há contrapartidas.
De acordo com Mantega, o compromisso primordial das empresas é manter o nível de emprego. 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

ELEIÇÕES 2012


Pedido de aumento

O jovem empregado vai à sala do diretor da empresa onde trabalha, e diz:
- Vim aqui para lhe pedir um aumento. E adianto, sem querer fazer pressão, que há quatro empresas atrás de mim.
Com medo de perder aquele promissor talento, o dono da empresa dobra o salário dele.
As corporações, em sua maioria, só valorizam os funcionários quando eles recebem outras propostas de trabalho.
Mas, curioso, pergunta:
- Você pode me dizer quais são essas quatro empresas?
- Sim, senhor: por causa do atraso no pagamento das contas, a Cosern, a Caern, a Tim. E tem também o gerente do meu banco, querendo cobrir o saldo negativo da conta!

Militantes do PBF lembram 33 anos de anistia politica

Caco, ex-exilado, organizou a manifestação do PBF
Um grupo de militantes do Partido do Bar de Ferreirinha (PBF) promoveu ontem um ato para lembrar os 33 anos da anistia concedida em 1979 a presos, perseguidos e pessoas banidas do país por motivos políticos, durante a ditadura militar. 
Os organizadores colocaram 375 cruzes na Praça da Matriz em Caicó. 
As cruzes representavam cada um dos mortos e desaparecidos, a partir de 1964. 
Os militantes distribuíram carta à população com o nome das vítimas da ditadura. 
Caco Dentão, Secretário de Mobilização do PBF, acredita que a luta dos brasileiros que deram suas vidas pela liberdade deve ser lembrada. 
De acordo com Caco, a sociedade deve estar sempre organizada para evitar que figuras políticas com traços ditatoriais sejam eleitas.

Tudo na vida é relativo


Pra testar o caráter de um novo empregado, o dono da empresa mandou colocar 500 reais a mais no salário dele.
Passam os dias, e o funcionário não relata nada.
No outro mês, o dono faz o inverso: manda tirar 500 reais.
No mesmo dia, o funcionário entra na sala pra falar com ele:
- Doutor, acho que houve um engano e me tiraram 500 reais do salário.
- É mesmo? Curioso: que no mês passado eu coloquei 500 a mais e você não falou nada.
- É que um erro eu tolero, doutor, mas dois erros eu acho um absurdo!

Bibica critica saúde do país

Bibica percorre o país e denuncia a calamidade na saúde pública
O empresário Bibica di Barreira, presidente nacional do Partido do Bar de Ferreirinha, afirmou ontem que a saúde pública do país está em estado de calamidade e sugeriu que o poder público lance um “olhar misericordioso” sobre o atendimento de saúde. 
“Aqui no Rio Grande do Norte, meu estado, por exemplo, a saúde está em calamidade. Os hospitais públicos padecem de uma carência inexplicável, inaceitável, que chega às raias da imoralidade. A saúde pública precisa ser prioridade para os governos, até porque quem precisa dela são os pobres”, disse Di Barreira.
O empresário está em pré-campanha pelo Brasil, preparando a sua candidatura à Presidência da República em 2014 e participando das campanhas de prefeitos de várias capitais, com idas aos comícios, carreatas, caminhadas e gravando participações nos programas eleitorais.

Dentadas

Vi um filme de putaria tão bom, mas tão bom mesmo, que no lugar de punheta eu bati palmas.
Caco Dentão

Coisas que você não pode deixar de saber

- 111.111.111 x 111.111.111 = 12.345.678.987.654.321.
- Nesse exato momento há mais de 100.000.000 microorganismos se alimentando, se reproduzindo, nadando e depositando detritos na área em volta dos seus lábios.
- O forno de microondas surgiu quando um pesquisador que estudava as microondas percebeu que elas haviam derretido o chocolate que estava em seu bolso.
- Uma mulher chamada Creuza em Santa Cruz já era avó com 17 anos. Ela teve sua filha com 8 anos e 4 meses, e sua filha também se tornou mãe com 8 anos!
- Uma pulga fêmea consome por dia 15 vezes o próprio peso em sangue!
- Há mais de 4.200 espécias de pulgas conhecidas.
- Uma asa de mosquito se move 1.800 vezes por segundo.

Violência contra crianças

A visita do inspetor

Havia uma professora que não tinha ensinado nada aos alunos, e então recebeu uma carta informando que iria receber em breve a visita de um inspetor.
Ela explicou aos alunos o que se ia passar, que eles não deveriam ficar nervosos, e que quando não soubessem alguma coisa que ele lhes perguntasse, olhassem para ela que ela iria arranjar uma maneira de ajudá-los.
No dia da visita o inspetor escreve no quadro com letras grandes a palavra CANETA.
- Pode ser esse menino aí na primeira fila. Leia isto em voz alta. 
O garoto olha para a professora, que, enquanto o inspetor estava escrevendo, pegou numa caneta e o moleque começa a soletrar:
- Ca-ne-ta
- Sim senhor, agora isto.
E volta a escrever, desta vez BORRACHA.
- Você aí ao lado agora. 
Mesma cena, e o garoto:
- Bor-ra-cha!
- Hmm afinal isto não está assim tão mal quanto diziam. Bem mais uma vez, agora aquele menino lá no fundo.
E ele escreve SINO. 
O garoto aflito olha para a professora que estava sacudindo a mão fechada para cima e para baixo como quem está tocando um sino.
O moleque responde:
- Pu-nhe-ta!

Brincadeirinha

Num manicómio, um cara vai visitar um parente e aparece-lhe, ao fundo do corredor, um maluco com uma faca na mão.
O cara entra em pânico e começa a correr.
O cara correu, correu, até que chegou a um local onde não tinha mais saída.
O maluco encosta-lhe a faca ao pescoço e diz-lhe:
- Agora, tome a faca e corra você atrás de mim!

Prazer e êxtase

Stela Fonseca
O prazer se
faz em êxtase:
quando o
meu corpo,
feito água,
descobre
todos os
caminhos
do seu.
E deixa-se
ficar
onde você
mergulha em
mim.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Carnaval 1975 na Assec, em Caicó


Esta é do acervo pessoal do correspondente do Bar de Ferreirinha em Recife, Arakén Almeida.
A foto é do Carnaval de 1975, em Caicó, quando os bailes ocorriam na Assec, na Avenida Coronel Martiniano.
Encapuzada, Ilma Araújo ao lado de Pituleira, Hélio de Juca, Gorim (+) e Noca da Caern (+).
Agachados, Mané Golinha(+) e Zé de Malú(+).
Arakém aparecia na foto, mas recortou porque, segundo ele mesmo, estava completamente grogue, destoando dos demais personagens (ainda) sóbrios.
Dele, sobrou a mão direita segurando um cigarro entre os dedos e um pouco da vasta cabeleira black power.
Bons tempos, aqueles.

Magaiver, ou MacGyver

A garota vai à primeira festa de sua vida e, com medo dos avanços dos rapazes, pede conselho à mãe: 
- O que faço, mamãe, se os garotos insistirem... 
- Se acontecer, minha filha, pergunte que nome eles vão dar à criança. Isso vai fazer com que eles desistam. 
Assim foi: no meio de uma dança um catarinense diz: 
- Vamos para o jardim atrás da piscina, gata? 
Ela vai, mas quando o moço quer avançar ela pergunta: 
- Que nome vamos dar à criança? 
O carinha olha-a com surpresa, diz que esqueceu a carteira no bar e sai de fininho. 
Uma hora mais tarde repete-se a cena com um paranaense. 
Igualzinho, quando ela pergunta qual será o nome da criança, ele fica de pés frios e vai-se embora. 
Mais tarde chega um caba de Caicó, interior do Rio Grande do Norte.
Vai com ela para o jardim, começa dando beijinho aqui, beijinho ali, apalpa-lhe o peito e ela pergunta: 
- Que nome vamos dar à criança? 
Ele continua e abre o vestido dela. 
- Que nome vamos dar à criança? 
Ele arranca o sutiã dela e pega nos peitos. 
- Que nooome vaaamos dar à criança? 
Ele tira o vestido dela e a calcinha. 
- Que noooome... ahhh. vaaaaaaaamos daaar... ahhhh... à criança? Ahhhhhh... Ahhhhhhhhhhhh... 
Depois de acabarem, ela pergunta mais uma vez: 
- E agora, qual vai ser o nome do nosso filho? 
E o caicoense, triunfante, tira devagar o preservativo, levanta-o para o alto, dá um nó firme e diz: 
-Oxe! Se ele conseguir sair daqui vai se chamar Magaiver!

Mensalão: delação premiada


Ivar Hartmann

Roberto Jefferson, Presidente nacional do PTB, queiram ou não, tem  crédito com os brasileiros. Graças a sua denúncia que a Nação ficou sabendo que a Casa Civil do ex-presidente Lula, era a sede do mais ambicioso programa nacional de corrupção, em todos os tempos. O mais audacioso projeto de corrupção das Américas. 
Que conseguiu criar meios arrecadatórios infinitos, fazê-los desaparecer através de sofisticados métodos contábeis e encaminhá-los aos recebedores secretamente sem deixar vestígio. José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil, criador e diretor do Mensalão, no dizer do Procurador Geral da República, é um operador inteligente. No início, enquanto poucos sabiam, o dinheiro servia para saciar o apetite de políticos compráveis. 
Mas aos poucos, membros grados do PT também se interessaram pelo ganho seguro. Então foi uma caça ao tesouro. Propina circulando pelos gabinetes e sendo recebida sem pejo. Dinheiro viajando de cuecas. Cheques descontados em banco sem cerimônia. Veículos presenteados sem preocupação. Mesmo assim, tão sofisticado o esquema que só quando Roberto Jefferson o denunciou é que os brasileiros acordaram para a podridão com a qual conviviam.
Pode-se até questionar: porque ele revelou? Denunciou porque não lhe deram o que? Será que não teve acesso a todo dinheiro que queria e Dirceu liberava? Pouco importa. Hoje não mais importa. Basta circular os olhos pela luzidia bancada de advogados para somar os milhões que estão ganhando dos réus do Mensalão. 
Tanto pagam que o dinheiro deve ser restos do esquema. Seria espetáculo à parte ver a Receita Federal atrás dos valores ganhos pelos advogados e suas origens. Passagens aéreas, bons hotéis, renome, horas gastas na defesa e honorários propriamente ditos, fazem com que, se o leitor estivesse lá sendo processado, teria um baque em seus haveres. 
E dos advogados presentes, o que menos deve estar cobrando é o de Jefferson. Vejam que sua denúncia fez tremer como nunca Brasília, acostumada aos escândalos e ao enriquecimento rápido de senadores e deputados. Devemos nos lembrar do vendaval que foi a CPI quando estarrecidos víamos provas cada vez mais robustas do Mensalão e sua forma de operação. Graças a Jefferson. Deveriam dar-lhe o benefício da delação premiada pela limpeza que ajudou a promover. Já pensaram o José Dirceu presidente, no lugar da Dilma, como queria Lula?

Liberdade, ainda que tardia


Uma mulher acorda durante a noite e percebe que o marido não está na cama.
Veste o robe e desce para ver onde ele está.
Encontra-o na cozinha, sentado, pensativo, diante de uma xícara de café.
Parece consternado, olhar fixo na xícara.
- O que se passa, querido?
O marido levanta os olhos e pergunta-lhe docemente:
- Você se lembra, há 20 anos, quando saímos juntos pela primeira vez ? Você tinha apenas 16 anos.
- Sim, claro. Lembro como se fosse hoje.
O marido faz uma pausa, as palavras custam a sair, olhos marejados...
- Você se lembra quando o seu pai nos surpreendeu enquanto fazíamos amor no banco de trás do carro?
- Sim, lembro perfeitamente. Foi um susto!
O marido continua:
- Lembra quando ele apontou uma arma na minha cabeça dizendo: 'Ou casa com a minha filha, ou te mando pra cadeia por 20 anos!'?
- Lembro, lembro - responde ela, docemente.
E ele, limpando mais uma lágrima diz...
- Hoje eu já estaria em liberdade!!!
Foi esquartejado.

Zé Galinha, o jogo e o enterro

Elilson José Batista
Pau dos Ferros: década de 60. Cidade tranquila, no marasmo típico de um povoado sertanejo. 
As notícias, poucas, vinham pelas ondas do rádio, notadamente a Rádio Difusora de Cajazeiras–PB. 
Mas a cidade tinha um serviço de alto-falante municipal, para divulgar os acontecimentos locais.
Sucedeu que, num domingo de clássico intermunicipal, Pau dos Ferros versus Alexandria, rinhenta peleja no Campo de Futebol onde hoje se localiza o Estádio Municipal 9 de Janeiro, o escalado para locutor no serviço de alto-falante, localizado no Mercado Público, foi Zé Galinha, notório pelo seu entusiasmo futebolístico.
Ressentido pela ausência no espetacular shock, Zé Galinha recebeu a incumbência de noticiar um evento e, ainda com a visão no esporte bretão, com a voz impostada soltou o verbo:
- Atenção, povo pauferrense: não percam logo mais, às 17h30, sensacional enterro, passando com seus componentes pelas principais ruas dessa cidade. Ouçam, em homenagem a esse grande evento, a música “Vassourinhas”.
Antes que terminasse a famosa introdução do frevo: “Tan taran ta ran tan ran / tan tanran tan tan tan ran…” surgiu, estupefato, Dr. José Edmilson de Holanda, para tentar emendar:
- Zé Galinha, isso é um aviso de enterro, e não de jogo de futebol!
Ainda com o microfone ligado, o desavisado Zé Galinha vaticinou:
- Vixe, caguei o pau!

Pergunta e resposta féla da puta

O que o espermatozóide falou para o óvulo?
Deixa-me morar com você porque a minha casa é um saco.

Dentadas

Nunca confie numa mulher que diz a sua verdadeira idade. Se ela diz isso é capaz de dizer qualquer coisa. 
Caco Dentão

Cio

Gloria Sartore
Entre as pernas te prendo
serpente e presa em duelo
Instintivos golpes
em oscena estratégia
– despudorada arma
Vitoriosa
bebo em teu cálice
o sêmen
...chove sobre o cio.

Moleque escroto

- Mãe... Pede a vovó para me levar ao banheiro, eu quero mijar.
- Não é preciso filho, eu te levo!
- Não! Eu quero a vovozinha!
- Mas porquê? Não é a mesma coisa?
- Não, a mão de vovó treme muito mais...

Em outubro tem Festival Curta Timbaúba

Considerado o maior evento cinematográfico da Região do Seridó, o Festival Curta Timbaúba chega à sua nona edição, com uma variada programação, entre os dias 10 e 19 de outubro. 
Este ano, foram inscritos cerca de 1.869 filmes de todo o país, realizados por profissionais ou amadores, para as quatro mostras competitivas e dez não competitivas. 
Desse total, estão sendo selecionados para exibição mais de 500 curta-metragens, em formato película ou digital, além de 90 longas.
Aberto às novas mídias, o festival tem como destaque a mostra competitiva que, a cada ano, premia os curtas produzidos com câmera de celular ou fotográfica. 
Outra marca do evento são as oficinas de audiovisual, abertas à população local, e as realizadas com os alunos da Universidade de Timbaúba dos Batistas (UTB).
A expectativa dos organizadores é que o evento reúna um público de cerca de 150 mil pessoas.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

De olho no mundo - 55


27 de agosto de 2012

cardápio da imprensa
A eleição presidencial de 2014 já começou pra valer e terá bom laboratório nas eleições municipais deste ano. Enquanto Aécio Neves testa suas ferramentas nas campanhas de diversos aliados, inclusive que disputam prefeituras bem distantes das Minas Gerais, aproveitou passagem recente por São Paulo para visitar, ciceroneado por FHC, banqueiros e empresários e se apresentar como candidato presidencial em 2014.

Por seu turno, o governador pernambucano Eduardo Campos já não esconde de ninguém que seu próximo projeto pessoal é mesmo nacional. Tanto que estrelou mais de cem campanhas municipais em todas as regiões brasileiras, com o intuito claro de utilizar a tevê para tornar-se conhecido do eleitorado. Ao mesmo tempo, tem aumentado as viagens para fora de seu estado e estabelecido contatos políticos com empresários e outras lideranças.
O PT já detectou o movimento, escolheu Campos como principal adversário e escalou seu grande falastrão para tentar denegrir o desafeto e partir para a disputa em todos os cenários.
Ao fim de cada bateria de exames, a máquina petista se apressa em correr para divulgar notícias positivas a respeito da saúde de Lula da Silva. Porém, na prática, os dirigentes do partido andam desconfiados quanto ao verdadeiro quadro do paciente, ainda mais pela sua ausência completa da mídia – coisa que não combina com o espírito da figura.
Os funcionários públicos de várias categorias seguem em greve, demonstrando a inépcia administrativa do governo – que não se mexeu até a situação ficar insustentável – e dando um nó no cotidiano em várias frentes do serviço público. Os servidores acabam de rejeitar mais uma proposta de acordo e ameaçam radicalizar, piorando ainda mais o quadro de prejuízo para a sociedade.
A semana começa com a enorme expectativa a respeito dos rumos que tomará o julgamento do mensalão petista. Afinal, começa a ganhar o ar o desagradável odor de manobras protelatórias para livrar os réus do voto do ministro Cézar Peluso, que se aposentará na próxima semana, e, mais adiante, do atual presidente Ayres Britto, que deixará a corte em novembro pelo mesmo motivo.
Na verdade, a sociedade começa a se inquietar para ouvir as vozes e os votos dos demais ministros, inclusive para formar sua própria opinião a respeito da postura de suas excelências em relação aos crimes e aos réus.
Alguns integrantes do Supremo foram ouvidos pelo Estadão e consideram que o falatório do colega Ricardo Lewandowski a respeito do deputado João Paulo Cunha não deverá servir de orientação.
Quem defende o voto integral do ministro Cézar Peluso se baseia em seu alto conhecimento jurídico e no fato de ele representar o voto médio do tribunal, que indicaria uma tendência de resultado para o julgamento.
Há quem garanta, nos bastidores do Supremo, que aquela penca de advogados estrelados num riso coletivo no plenário do tribunal, causou grande revolta nos ministros e poderá gerar novas consequências para a vida dos réus que defendem.
Em diversas ocasiões, Marcos Valério mandou recados ameaçadores de que abriria o bico caso ficasse sozinho na área de culpa. Pelos primeiros movimentos do julgamento do Supremo, parece estar sendo cuidadosamente encaminhado para a posição de bode expiratório. Por ora, seu advogado Marcelo Leonardo mandou o mais recente alerta: “Quero ver o que o tribunal vai decidir sobre os políticos”.
O governo desistiu da privatização do aeroporto do Galeão. A notícia explodiu na administração do Estado do Rio, já comprometida com investidores internacionais. Segundo o jornalista Cláudio Humberto, uma gente que se havia prometido “mundos e principalmente fundos” mutuamente.
José Serra começa a lidar com a possibilidade de um grande vexame na campanha eleitoral paulistana. Depois de protagonizar algo estranhíssimo – conseguiu aumentar seu próprio índice de rejeição mesmo estando afastado do poder e ausente da mídia desde a derrota presidencial de 2010 – corre o risco de perder a eleição para Celso Russomano. Diante do quadro, comenta-se nos bastidores que sua candidatura estaria prestes a ser abandonada por Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab.
O astronauta Neil Armstrong era um homem incomum. Destinado a conquistar o espaço desde menino – tirou seu brevê aos 15 anos, antes mesmo da carta de motorista –, teve a glória de ser o primeiro humano a pisar na lua. Apesar disso, soube permanecer, por 43 anos, menor do que seu grande ato, numa atitude rara e reservada apenas aos grandes homens. Poderia ter explorado sua fama galáctica, mas limitou-se apenas a ensinar e servir de exemplo para quem teve o privilégio da sua convivência. Agora, virou estrela e muito possivelmente deve ter ido morar ao lado da sua namorada no espaço sideral.
O governo francês retirou a medalha da Legião de Honra que havia concedido ao estilista inglês John Galliano. Bêbado, Galliano resolveu insultar e promover ataques antissemitas contra um casal num café parisiense do bairro de Marais, conhecido reduto da comunidade judaica da cidade. Primeiro perdeu o posto de diretor criativo da Maison Dior, e agora a maior condecoração francesa.

Quem quer ser rico sem poder fica pobre sem querer.

Zé Prativaiimpressionado com as estatísticas de pessoas que se endividam comprando coisas que não precisam.

alarido
Há os que procuram fazer com que as coisas aconteçam, há os que observam tudo que acontece e há os que nem sabem o que está acontecendo.”
(Millôr Fernandes, gênio da raça)

“A insistência de Lewandowski em se ‘ombrear’ ao relator funcionando como contraponto a ele, mesmo depois de iniciado o julgamento do mérito da ação, causa estranheza e provoca constrangimento entre os demais ministros.”
(Dora Kramer, jornalista)

“Isso preocupa o colegiado e suscita comentários sobre o risco de os outros ministros serem transformados em meros coadjuvantes do processo, relegados à condição de espectadores de uma situação já qualificada por Ayres Britto como inconveniente ‘vaivém de divergências’.”
(Idem)

“Nós estamos no fio de navalha. Se não houver a condenação a Justiça brasileira vai ficar sob interrogação; se houver, o Brasil vai adiante, vai à frente.”
(José Agripino, senador, falando a respeito do mensalão petista)

“Tem o ditado ‘devo, não nego e pago quando puder’. Eu sou o contrário: não devo, nego e pago sob coação.”
(Luiz Estevão, ex-senador, que vai pagar R$ 468 milhões para desbloquear seus bens, em razão da acusação de desvio de verbas da construção do prédio do TRT São Paulo)

“Passagem livre para o tráfico de drogas e armas.”
(Faixa colocada por grevistas da Polícia Rodoviária Federal)

“Uns fingem que ensinam. Outros fingem que aprendem. E tudo termina em diploma.”
(Eduardo Gianetti, consultor, falando a respeito da educação brasileira)

“Foi um encontro muito emocionante.”
(Lolita Rodrigues, comentando a visita à velha amiga Hebe Camargo, no hospital)

“Gostaria de mostrar que posso conseguir publicidade sem usar minha bunda.”
(Marilyn Monroe, mito do cinema)
moleskine
Perdi um dos meus heróis, o astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua. Sempre que via esse homem extraordinário na tevê, resgatava na memória o menino que fui em Natal, com nove anos de idade naquele momento histórico que ele protagonizou. Ouvia do meu pai a leitura das matérias espetaculares que relatavam aquela missão que me soava fascinante e sobrenatural.