terça-feira, 30 de junho de 2015

Saudação à mandioca - by Dilma

Bibica quer comprar a Fórmula 1

Marca da RYFFS poderá ficar no lugar mais alto do grid de largada da F1
A notícia de que o empresário caicoense Bibica Di Barreira se articula para comprar 69% da Fórmula 1 vem agitando não somente os bastidores esportivos, mas também o mundo financeiro.
Dono da RYFFS Corporation, patrocinadora do time de futebol americano Miami Ryffs, Di Barreira teria se unido com a MNW Sports, dona do Paris Saint-Germain, para investir até US$ 19 bilhões na empresa.
A fatia é da KFY Partners que pretende se desfazer do negócio.
O banco Goldman Sachs auxilia a KFY para realizar a venda e a RYFFS Corporation representa o empresário Bibica Di Barreira. 
A primeira notícia sobre o tema foi dada pela BBC de Londres.
Di Barreira tem uma fortuna estimada em US$ 94,8 bilhões, segundo a Forbes, e está entre os empresários mais ricos do mundo.
Ele fez fortuna atuando principalmente no segmento de entretenimento, jogos eletrônicos e games para internet.
Também é conhecido por sua dedicação como filantropo, principalmente em doações para a Universidade de Timbaúba dos Batistas (UTB).

Piadinha cu de candidato a emprego

Numa entrevista de emprego, rolou o seguinte diálogo entre o responsável pelo departamento de RH e a candidata, que posteriormente tornou-se presidanta:
- Como você administra a pressão? 
- Ah, tranquilo: 11 por 7, no máximo 12 por 8.
- Quando eu digo 'Sucesso', qual a primeira palavra que lhe vem à mente? 
- Pode ser duas palavras? 
- Pode.
- Milho e nário.
- Notei que você não mencionou a sua idade aqui no currículo.
- É que eu uso óculos, e isso me faz parecer mais velha. 
- E qual é a sua idade? 
- Com óculos ou sem óculos?

O Papa que matou cristãos

Ivar Hartmann

Inocêncio III foi um Papa do século XII/XIII que resolveu criar uma cruzada para matar os cristãos que viviam no sul da França, fronteira com a Espanha. Quem se interessa por história, vale a pena entrar no Google e dar uma olhada nos verbetes cátaros. Era uma religião derivada da católica, praticada em grandes áreas do sul da França, incluindo cidades importantes e senhores feudais poderosos do Langedoc. Uma região da França que hoje se orgulha de intitular-se “o País dos Cátaros”. Tendo surgido no sul da França no século XI, com a perseguição do papa e do rei da França, os cátaros passaram a ser mortos em batalhas e perseguições, até serem dados por exterminados no século XIII. Sua doutrina, em resumo, dizia que Deus era o bem absoluto, e o mal absoluto era o Diabo. Pregavam a austeridade e a não violência.  Seguiam os ensinamentos pregados pelos seus sacerdotes chamados de perfeitos. Toda sua hierarquia comprendia: os perfeitos, os crentes e os ouvintes. Com esta divisão simples, sem uma hierarquia a sustentar, não necessitavam de grandes somas nem de dízimos para manter sua religião, ao contrário dos católicos que tinham que sustentar padres, bispos, cardeais e papas. E suntuosas igrejas e a vida nababesca de seus sacerdotes. Visitei a região há poucos dias.
Queria conhecer suas terras, cidades, fortalezas, ouvir de sua história e  modo de vida “in loco”. As campanhas militares contra eles foram dirigidas menos contra sua fé e mais em favor de bens materiais. O rei da França, incapaz contra os ingleses, achou uma forma de conquistar terras ao sul até o mar. O papa e seus bispos que não tinham mais a fonte de renda proveniente dos cátaros, em busca de dinheiro. Terra e dinheiro, súditos e fiéis, aí estavam os princípios para a nova cruzada do papa Inocêncio. Ao contrário das Cruzadas do Oriente em que soldados católicos combatiam soldados muçulmanos, esta se caracterizou pelo assassinato de mulheres e crianças. Não bastava vencer os homens. Era necessário saquear as terras, queimar as cidades, destruir os lares. Em nome do Deus católico que era o mesmo Deus cátaro. Sem esquecer os padres da Inquisição, loucos da história, tarados religiosos que empestaram a Espanha e a França. Quando horrorizados vemos hoje xiitas e sunitas se trucidarem, lembremo-nos do que fizeram os soldados e padres católicos contra as famílias cátaras.

A vida como ela é...



Luan Santana, João Damásio e Dedé Pilaro no Ipueira Junino

Show-de-Luan-Santana-promete-arrastar-multidão-para-Estação-das-Artes





O último final de semana de festa na Arena Macedão em Ipueira promete registrar recorde público. O astro nacional Luan Santana traz seu novo show acústico, recheado de grandes sucessos de sua carreira, para o encerramento do Ipueira Junino neste sábado 4 de julho.Além do ídolo sertanejo, o evento contará com as apresentações de Lagosta Preta, Dedé Pilaro e clássicos do forró das antigas com João Damásio no Ipueira Junino. “Receberemos caravanas de diversas cidades e a expectativa é de recorde de público no Macedão no show de Luan Santana. Estamos felizes com a repercussão e o sucesso da nossa festa MCJ”, afirmou Toinho de Anibal...

Vai ser foda





Isso é profundo

             *PENSAMENTO JUNINO*
 "PRIQUITO É IGUAL A ESPIGA DE MILHO: 
NASCEU CABELO, TÁ NA HORA DE COMER".

Na terra de Sarney é assim

CIXAkOpWUAQfAZa


Te sentindo perto

Por Danea Salas...

Ritual quase mágico ao seu fim chegou
eu a teu lado...você ao meu lado
os dois tranqüilos...

Em um leito de pétalas de rosas
em um leito com cheiro a sexo
em um leito de lençóis suados
em um leito com cheiro de amor
em um leito onde você e eu
compreendemos o que é amar

Minha língua buscara teu sexo ardente
e tua boca buscara meu sexo eloqüente
Minha dívida prometida 
aqui deixei
a tu lado...
espero que tenhas gostado
escrever poesia eu não sei
esse talento me foi negado...

Verdade verdadeira

CHIFRE-ANEMIA


segunda-feira, 29 de junho de 2015

Zé Prativai


A UTC serviu Brahma em tulipa e caneco."

Zé Prativaiespecialista em codinomes patifes.

Agende-se: vem aí a 7ª Feirinha de Ferreirinha



Em dias de colorido, teu colorido me encanta

O homem estava mais sumido do que orelha de freira.
Mas reapareceu hoje, em grande estilo, mandando uma glosa bem atual.
É sobre a aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, nos Estados Unidos.
Senhoras e senhores, com vocês:
Jesus de Ritinha de Miúdo!

"Robertão,

Com a aprovação da Lei do Casamento Homoafetivo lá nas terras do Tio Sam (de quem ele é tio eu não sei), o mundo da internet entrou numa de colorir tudo.
Daí que o Facebook criou uma ferramenta que, em sendo utilizada, a foto do perfil do sujeito fica por trás de uma espécie de arco-íris.
O que tem de gente colorido. 
Alguns até sem saber o que representa ficar daquele jeito.
Nisso o Poeta Francisco de Sales, companheiro antigo de cavalgadas, grande declamador e especial Dom Juan, percebendo que eu ando calado para os lados da Glosa Fescenina, e para me insultar, achou de me sugerir uma glosa com o modismo virtual. 
E ainda me instiga: 'Não vai colorir seu perfil, não?'
Claro que vou. 
Com a foto abaixo, e a glosa que lhe acompanha, dei minha contribuição em apoio à lei aprovada nas terras de Tio Sam (de quem ele é tio, eu continuo sem saber)".



MOTE
Em dias de colorido
Teu colorido me encanta

GLOSA

Merece ser aplaudido
Esse novo movimento
E eu não posso ser cinzento
Em dias de colorido.
Não vou ficar dividido
Nem me calar adianta
Minha empolgação é tanta
Que empunharei sua bandeira
E gritarei sem besteira:
Teu colorido me encanta.
Jesus de Ritinha de Miúdo
Acary do Seridó (RN).

Um justo juiz


Fernando Antonio Bezerra
Quem um dia encontrou Roldão Gurgel Diniz, certamente, atesta: conheceu alguém muito especial! Ninguém entrava em sua presença e saía sem sentir, pelo menos, um lampejo de sua inteligência. Dr. Roldão – como era conhecido - nasceu em Caicó, no dia 30 de maio de 1945. Era filho de Pedro Gurgel Diniz e Francisca Medeiros Diniz. Foi batizado na Catedral de Santana através das mãos sacerdotais de Monsenhor Walfredo Gurgel, seu tio-avó, no dia 12 de agosto de 1945. Foram seus padrinhos: Joel Adonias Dantas e Julieta de Medeiros Dantas.
Em 1963 concluiu o ensino médio no Colégio Diocesano Seridoense e, em 30 de julho de 1974, concluída a jornada acadêmica e já iniciada a vida profissional, casou-se com Ester Lins Diniz com quem gerou quatro filhos: Sara Lins Diniz, Tibério Graco Lins Diniz, Silvana Lins Diniz e Roberto Lins Diniz.
Dr. Roldão exerceu a Magistratura em várias Comarcas e Zonas Eleitorais do Seridó, mas foi em Caicó sua maior e mais destacada permanência. Era ele Juiz titular da 2ª. Vara Cível e, por muitos anos, responsável pelo “Juizado de Menores” e por outros temas relacionados ao direito de família. Em todos os assuntos, um Juiz acessível a todas as classes, sem distinções; um educador que sabia ouvir com autoridade; um homem equilibrado que, esgotado o diálogo, promovia a justiça alicerçado nos melhores fundamentos de honestidade e ética.
Todos os dias trabalhava no Fórum Amaro Cavalcanti, mas, ao final da tarde, cumpria um outro expediente. Ao lado de seu pai, familiares e amigos, postava-se na calçada de sua casa, na Praça Mons. Walfredo Gurgel, em frente à Catedral. Lá, era o cidadão de bom humor que gostava de ouvir e dividir opiniões. A calçada era liderada por seu pai, Pedro Diniz, detentor de uma memória extraordinária e de um acervo sempre rico de temas e informações. Estive por lá inúmeras vezes. Gostava imensamente de ouvir Pedro Diniz, especialmente, seus relatos sobre campanhas eleitorais e suas viagens anuais à cidade de Águas de Lindóia-SP. Ainda hoje quando ouço alguém falar em Águas de Lindóia, automaticamente, reverencio “Seo Pedro”, de quem, seguramente, Dr. Roldão herdou a boa prosa e o timbre de voz.
Roldão, sentado, na conclusão da 1a turma de 
Direito do CERES-Caicó, em abril de 2003
Mas, a rotina de Dr. Roldão ia além! Como professor universitário e palestrante, sempre requisitado, Dr. Roldão, apesar das limitações de saúde, cumpria regularmente o terceiro expediente do dia na UFRN ou em alguma instituição para a qual costumeiramente era convidado a fim de abordar algum tema relacionado a educação ou ao Poder Judiciário.
Concluída sua missão na magistratura, honrada com uma vida de retidão inquestionável, Dr. Roldão passou a advogar. Não se afastou do magistério. Aliás, juntamente com José Aranha Sobrinho, também Juiz de Direito com larga presença na vida caicoense, ajudou a fundar, em Caicó, o Curso de Direito no Centro de Ensino Superior do Seridó (CERES-UFRN). Na advocacia, contudo, também se permitiu prestigiar alguns movimentos partidários, dentre os quais, aceitou ocupar – para colaborar com a cidade - a Secretaria Municipal de Educação em um período de instabilidade política que Caicó viveu no início do ano 2000.
Dr. Roldão tinha n’alma qualidades que o fizeram um tribuno de palavras sopesadas no humanismo e na solidariedade. Acalentava profundo respeito às pessoas e as suas opiniões. A autoridade que bem exerceu, não o fez com prepotência, mas com coerência e serenidade. Sua palavra convencia porque tinha a força do exemplo!
Roldão Gurgel Diniz partiu cedo, com apenas 60 anos incompletos, no dia 14 de fevereiro de 2005. Pela crença que professam os homens e mulheres de fé, ingressou na invisibilidade de um mundo novo para receber a coroa dos justos e se transformar, na vida dos que ficaram, em uma lembrança – muito saudosa – de filho atencioso, esposo companheiro, amoroso pai, educador comprometido, sereno magistrado e cidadão exemplar. Qualidades, enfim, de alguém que veio para mudar o mundo e, por onde passou, conseguiu.
Fernando Antonio Bezerra é potiguar do Seridó

Piadinha cu de asa branca

A mulher viajou por dois dias para visitar uma amiga doente.
Quando volta para casa seu filhinho corre ao seu encontro:
– Mamãe, eu estava brincando dentro do armário e de repente o papai entrou no quarto com a vizinha. Ele tirou a roupa dela, jogou-a em cima da cama e eles fizeram…
– Chega, meu filho. Não fale mais nada. Vamos esperar o papai chegar e aí você conta tudo de novo.
O marido chega e ela dispara:
– Seu salafrário, sem vergonha… eu vou embora, não quero mais viver com você.
– Por que? O que aconteceu?
– Vamos filhinho, conte aquela história agora.
– Conto. Enquanto a senhora viajava o papai trouxe a vizinha aqui, tirou a roupa dela, jogou a mulher na cama, e eles fizeram igualzinho à senhora e o tio Chagas quando o papai viajou no mês passado.

Taradão educado

Noticia que vai resolver o probema da TIM em Caicó

O Diamante Hope foi encontrado em 1642, e é conhecido por sua notável cor azulada, seu tamanho, sua beleza e sua história macabra. 
Ele também é conhecido por trazer desgraça a todos os seus proprietários. 
Segundo a lenda, um homem chamado Tavernier fez uma viagem para a Índia e, enquanto estava lá, ele roubou o grande diamante azul da testa (ou olhos) de uma estátua da deusa Sita. 
Na viagem de volta, Tavernier passou pela Rússia, local onde foi destroçado por cães (Logo depois de Vender o diamante). 
O proprietário mais famoso do Diamante Hope foi o Rei Luís XVI, que como todos sabem, acabou sendo decaptado juntamente com a Rainha Maria Antonieta. 
Depois da morte do Rei, o diamante foi doado para o Smithsonian Institute, que por sua vez repassou a jóia para o Museu Nacional da França.
A seca que se abate sobre o semi-árido, especialmente na Região do Seridó, é atribuída à passagem do Diamante Hope durante curta temporada no Museu de Ipueira.
Posteriormente, a joia circulou em Timbaúba dos Batistas, Caicó, Currais Novos e Jucurutu, formando um cinturão imaginário pelo Seridó.
Daí, instalou-se o Lili da Gata Preta e nem nublou este ano.

Gata sincera

Declaração de amor

Desejo

Corno organizado

Despe-me lentamente

Marta Shai
Despe-me com tuas mãos lentamente.
Somente roçando meus seios e cintura.
Deslizando também teus dedos
Deixa-me ver estrelas.
Olha em meus olhos e abre tua boca.
Liberta meus seios prisioneiros
para assim ficar louca.
Se abrirão a tu como rosas ternas
Apertando tua língua neles.
E entre gemidos, suores e tremores,
Com ar abrasador em meus pulmões
Abrirei minha rosa oculta de tal maneira.
E te direi revolvendo-me
No delírio do desejo e do silencio,
Que desejo teu corpo como nunca,
Como agora, e para sempre.

domingo, 28 de junho de 2015

Seu capital permanece igual: Mega-Sena acumulou

Ninguém conseguiu acertar os seis números do concurso 1717 da Mega-Sena que foram sorteados ontem, em Pirapozinho (SP). 
Por conta disso, a Caixa Econômica Federal estima que o prêmio acumulado para o próximo concurso, que será realizado na quarta-feira, dia 1/07, pode atingir R$ 6,8 milhões.
Os números sorteados ontem foram: 02-09-16-37-44-58. 
A quina teve 122 apostas ganhadoras, e cada uma levará R$ 14.665,09. 
Outras 4.934 apostas levarão pelo prêmio da quadra R$ 518,02.
Os sorteios da Mega-Sena  são promovidos pela Caixa Econômica Federal duas vezes por semana, às quarta-feiras e aos sábados. 
A aposta mínima, de seis números, custa R$ 3,50. 
Quem quiser participar, pode comprar seu bilhete até às 19h do dia do sorteio (no horário de Brasília), em qualquer lotérica do Brasil.
Para a aposta simples, de apenas seis números, a probabilidade de ganhar é 1 em 50.063.860. 
Já para a aposta máxima, de 15 números, com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acerto é de 1 em 10 mil.

O caicoense que morreu duas vezes


Ciduca Barros
Naturalmente, minhas histórias sempre se reportam a tempos remotos. Isto tem uma coerência cronológica, pois faz mais de cinquenta anos que eu deixei o meu Seridó. Esta história, por exemplo, ainda é do tempo daquela Caicó violenta e que teve os seus famosos brigões. Aquela famigerada fase de faroeste ocorreu no fim da década de 1950 até o início da década de 1960, talvez inspirada nos filmes de bandidos e gângsteres que eram exibidos no Cinema Pax de seu Clóvis Medeiros. 
Certa tarde daquela conturbada época, um pai procurou os seus filhos menores (de 8 e 10 anos) em casa e não os encontrou. Depois de muito procurá-los pelas ruas das redondezas, e já demonstrando alguma preocupação, eis que lá apareceram os dois descendo calmamente a rua onde moravam.
– Onde vocês andavam seus moleques? – perguntou o pai aflito.
– Estávamos vendo um homem morrer novamente – foi a enigmática resposta dos garotos.
Eu conheci o tal homem. O nome dele era Cícero, mas como a sua desditada mãe se chamava Laura, as pessoas passaram a chamá-lo Cícero de Laura. Era um moreno, de estatura mediana, espadaúdo e de mãos enormes. Bebia e, comumente, criava encrencas. E nas suas inúmeras desordens já havia batido em muita gente. Disparadamente, ele era um dos maiores valentões daquela época. 
Um belo dia, depois de quebrar um cabaré, Cícero de Laura resolveu encarar uma patrulha policial. E no entrevero, infelizmente, ele foi morto pela polícia. 
No momento do seu velório, na humilde casa da sua mãe Laura, com o seu cadáver num pobre féretro apoiado em dois tamboretes velhos, entrou ali um cara que, no passado, Cícero o havia mutilado numa briga de rua. Amparado por duas muletas e andando com certa dificuldade, o aleijado entrou na casa, aproximou-se sorrateiramente do caixão, olhou fixamente para a face macilenta do defunto e, ao tempo que o empurrava violentamente com um dos pés, pronunciou em alto e bom som:
– Eu vim ver se você havia morrido mesmo, seu filho da puta!
O corpo sem vida do desventurado Cícero e o seu modesto ataúde só pararam de rolar quando encontraram uma parede. 
Tudo isto assistido por todos os que estavam ali presentes, inclusive os garotos que o viram “morrer novamente”. 

Amor perfeito

Tirinhas 1435

Empresários do Seridó se unem contra a seca

Com intuito de trazer soluções definitivas para combater a crise hídrica no Estado, a RYFFS Corporation irá provocar a união dos empresários do Seridó em torno do assunto. 
A decisão aconteceu  em reunião na sede da empresa. 
Segundo o economista Caco Dentão, a seca está castigando a população dos municípios do Seridó e a produção rural está em crise.  
Para Caco, é preciso soluções definitivas e isso só irá acontecer com pressão popular e política.
Atualmente, vários municípios do Seridó estão em situação de colapso total no abastecimento de água. 
A previsão da RYFFS é que este número suba para 20 cidades até outubro de 2015 e que em dezembro a situação fique ainda mais grave.

Punheteiro deselegante