segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Piadinha cu de defunto

O chefe pergunta para o empregado:
- Você acredita na vida depois da morte?
- É claro que não! Não existem provas disso pois nunca alguém voltou para provar que está do outro lado.
E o chefe arregaça:
- Pois você está enganado! Agora essas provas existem, sim! Ontem, depois que você saiu cedo para ir ao funeral do seu pai, ele veio aqui lhe procurar.

Dos grandes do Seridó



Fernando Antonio Bezerra


Das figuras públicas do Seridó de todos nós, Sílvio Bezerra de Melo sempre me despertou especial atenção. Para as bandas de Caicó, provavelmente, ele é pouco lembrado, mas para os lados de Currais Novos o povo sabe – e reconhece - que Sílvio Bezerra de Melo está na galeria dos maiores seridoenses de todos os tempos!
As informações que apoiam o presente texto foram recolhidas no livro escrito por Joabel Rodrigues de Souza e outras mais que ouvi ao longo de prosas com sertanejos mais antigos e pessoas que conviveram diretamente com Dr. Sílvio, privilégio que não tive. Joabel procura defini-lo como um símbolo de Currais Novos e uma marca do Seridó. Ele também foi agrônomo, pesquisador, minerador, fazendeiro, construtor, administrador público, sertanejo corajoso e inquieto. Alguém que procurou fazer muito e bem-feito!
Mas, toda boa história começa pelo mesmo ponto, ou seja, Sílvio Bezerra de Melo nasceu no dia 13 de novembro de 1908, nas terras do Sítio Jurupaiti, propriedade rural de seus pais, Tomaz Salustino Gomes de Melo e Tereza Bezerra de Araújo Melo, no Município de Currais Novos-RN. Do lado paterno, é neto de Manoel Salustino Gomes de Macedo e de Ananília Regina de Araújo. Pela mãe, ele é neto de José Bezerra de Araújo Galvão e de Antônia Bertina de Araújo.
A infância e juventude, basicamente, se passaram na zona rural, entre as fazendas Jurupaiti e Barra Verde, onde foi alfabetizado convivendo com a família e com a natureza. Passou, ainda, por bancos escolares em Currais Novos e Natal até chegar ao ensino superior em Belo Horizonte-MG. Em 1929 formou-se Engenheiro Agrônomo pela Escola de Agronomia e Veterinária da capital mineira. Por lá conheceu Débora Moreira de Abreu e com ela firmou casamento aos 14 de novembro de 1932, no Padre e no Juiz. Do enlace, cinco filhos: Marilene, Marílis, Márcia, Reno e Valter.
Formado, com especialização na cultura do algodão e um curso na área de construção civil, voltou para o Nordeste. Inicialmente trabalhou em Alagoinhas, Paraíba, e, depois, em Sacramento, atual Ipanguaçu-RN. Em 1936, como funcionário do Ministério da Agricultura, chegou em Cruzeta, ainda Distrito de Acari, para chefiar a Estação Experimental, onde passou a residir e, adiante, se tornou Prefeito e um dos maiores realizadores de sua história.


Dr. Sílvio Bezerra

Em 1946 Dr. Sílvio, como era costumeiramente chamado, voltou a Currais Novos, já licenciado do Ministério da Agricultura, para se dedicar com maior disponibilidade à Mina Brejuí, grande reserva de schelita descoberta em terras de seu pai, Tomaz Salustino. “Foi no ciclo do gado, com o vaqueiro e os currais que Currais Novos surgiu; cresceu com o plantador de algodão e teve o seu desenvolvimento industrial apoiado na mineração”, resume Joabel. A propósito, a famosa revista “O Cruzeiro”, edição de dezembro de 1954, publicou matéria tratando da Mina, do progresso do lugar e de seus principais líderes: Tomaz Salustino e seu filho Sílvio Bezerra de Melo. Vale a transcrição de alguns trechos: “Tomaz Salustino é um estudioso dos problemas sociais da nossa época. Proporciona aos seus operários toda a assistência social: trabalham de macacão (coisa rara naquelas paragens); além do salário-mínimo participam dos lucros da empresa através de prêmios de produção; tem escola, difusora, ambulatório, cooperativa de consumo, farmácia, estabelecimentos comerciais, casas confortáveis para os operários que tem, três vezes por semana, gratuitamente, um médico à sua disposição. Em Currais Novos construiu um moderníssimo hotel, o Tungstênio Hotel, considerado um dos melhores do Nordeste; urbanizou praças; pintou, graciosamente, dezenas de casas a fim de tornar mais agradável o aspecto da cidade; está organizando o Aero Clube local; a Maternidade Ananília Regina; o Posto de Puericultura; o Asilo para velhos. Mas o grande arquiteto de tudo isto, o homem que ao lado de Tomaz Salustino realiza os sonhos do outono do pai, como diz Assis Chateaubriand, é o seu filho Sílvio Bezerra de Melo. Este é o homem de uma simpatia contagiante, querido (com letras maiúsculas e espontaneamente) pelo povo da região não só por suas ideias, como pela fidalguia que sempre dispensa a todos indistintamente.” Além das iniciativas empreendedoras relacionadas na matéria, o Seridó deve a Dr. Sílvio a instalação da Rádio Brejuí AM, inaugurada no dia 06 de setembro de 1958, e inúmeros gestos de apoio à cultura, a educação e a filantropia.
Na vida política, Dr. Sílvio Bezerra de Melo foi candidato único, por decisão do povo curraisnovense a Prefeito de Currais Novos, realizando extraordinária gestão. Nesta condição, foi também dirigente de Lagoa Nova, então distrito da terra da schelita, terminando por ser, de fato, Prefeito em três cidades seridoense.
Homem culto, dedicado ao trabalho, talentoso, solidário com os pobres, amigo dos amigos, fiel a família, caprichoso no que fez e no que pensou, partiu cedo para o horizonte que a fé nos faz enxergar. Faleceu em 1977 em Belo Horizonte-MG, onde também está sepultado, deixando um vazio até hoje não preenchido no cenário socioeconômico das terras por onde passou. 

Fernando Antonio Bezerra é potiguar do Seridó

Surpresa

Em um Universo que já tem 10 ou 15 bilhões de anos, estamos constantemente esbarrando em surpresas.

                                        "VÃO SE FODER"
                     

Pátria educadora

"O analfabetismo no Brasil é tão preocupante, que até prova de assinalar com "X" tem gente preenchendo com "CH".


Bunda mole



Piadinha cu de cachorro

- Olha lá pai, dois cachorrinhos. Um em cima do outro. O que eles estão fazendo? Brigando?
- Não filho. Estão namorando e vão fazer cachorrinhos!
De noite, o menininho entra no quarto dos pais e vê os dois, um em cima do outro:
- O que vocês estão fazendo?
- Um irmãozinho para você…
- Ah pai…vira a mamãe de costas, como lá no parque, que eu prefiro cachorrinhos.

Temos muitas donas Marlucis espalhadas por ai

FB_IMG_1441390042601


Dentadas

São muitos mamadores pra uma única cabritinha. Sei não, mas parece-me que vai ficar gente sem teta.
Caco Dentão

Divergência



domingo, 29 de novembro de 2015

Síndrome de Delcídio



Anfíbio anuro


Ciduca Barros

O inadimplente contumaz tem sempre uma explicação a apresentar (no lugar da conta) e, sempre que pode, arranja um meio de aumentar o seu débito inadimplido (em vez de saldá-lo).
Esta aconteceu na cidade de Parelhas (RN). 
Um sujeito daquela acolhedora cidade seridoense, reconhecidamente mau pagador, desde muito tempo estava devendo numa birosca local. 
O seu nome estava na caderneta dos fiados sem nunca ter visto um lançamento no crédito. 
O dono do estabelecimento já o tinha avisado:
– Enquanto você não pagar o que está “pendurado”, o seu crédito continuará cortado.
Aliás, aquela triste situação era igual em todos os estabelecimentos da cidade, ou seja, em virtude do seu grande endividamento, aquele papudinho não tinha crédito em lugar nenhum. 
Daí, tempos depois da peremptória negativa do dono da birosca, ele voltou ali e, veementemente, falou:
– Bodegueiro, bote uma chamada de cachaça e me dê um tira-gosto. 
– Cachaceiro velhaco, eu já lhe disse que, enquanto você não saldar a sua dívida, daqui você não leva nada.
– Hoje, eu vou quitar a minha conta e ainda vou pagar bebida pra todo mundo aqui! 
E rindo, ao tempo em que batia enfaticamente no bolso dianteiro da sua calça, acrescentou: 
– Olhe aqui o “cururu” (*).
O bodegueiro olhou para aquela parte da sua vestimenta e, realmente, viu um volume alto no seu bolso, deduzindo que ali havia um volume considerável de papel-moeda. 
Animou-se e abriu as vendas para o papudinho e para a sua galera etílica. 
Aquela farra ficou inscrita nos anais da vida boêmia da cidade. 
Finda a esbórnia, chegada a hora de pagar as despesas, o inadimplente não se fez de rogado. 
Enfiou a mão no bolso intumescido, puxou dali um inchado sapo e o jogou em cima do balcão, dizendo:
– Taí o cururu! Pode ficar com o troco. 
(*) Cururu é a designação comum a alguns sapos de grande porte e de pele enrugada.

Escritor, funcionário aposentado do Banco do Brasil e colaborador do Bar de Ferreirinha.

Leveza


 Cecília Meireles...
Leve é o pássaro:
e a sua sombra voante,
mais leve.
E a cascata aérea
de sua garganta,
mais leve.
E o que se lembra, ouvindo-se
deslizar seu canto,
mais leve.
E o desejo rápido
desse mais antigo instante,
mais leve.
E a fuga invisível
do amargo passante,
mais leve.

Comi tudo



Um pouquinho

POR FABRICIO CARPINEJAR...

Quando a mulher diz que vai pintar um pouquinho o cabelo, voltará absolutamente modificada.
O que sugere um retoque é o surgimento de uma nova personalidade.
Se queria ficar levemente acobreada, ficará vermelho sangue. Se queria ficar loira, ficará platinada. Se queria ficar morena, ficará azul.
O tingimento sempre foge do controle. Só restarão as sobrancelhas para contar a história e recordar do passado.
Pintar um pouquinho provocará um maremoto de selfies, todas devidamente apagadas. Nenhuma mulher é feliz depois de pintar o cabelo. Ela apenas se conforma - não tem mais o que fazer nos próximos meses.
A cor desejada na caixa ou na cabeça de uma modelo na revista jamais se repete. A cor do seu cabelo não combinará nem com o seu tom de pele muito menos com a sua personalidade, combinará apenas com o cabelo.
Colocar um tonalizante é uma aventura radical. O só pouquinho é muito.
O só pouquinho da mulher no salão é o só o pouquinho do homem no sexo.


Dica importante



Encontro do PBF em Caicó foi um sucesso

O Partido do Bar de Ferreirinha, - PBF, realizou na manhã de ontem, o encontro estadual da legenda com presidentes de diretórios, representantes de partidos amigos e pré-candidatos a prefeito, vice e a vereador. 
O evento que aconteceu na sede da RYFFS Corporartion, no bairro acampamento em Caicó, contou com a presença de mais de seis mil pessoas presentes.
De acordo com o presidente do PBF e pré-candidato a prefeito de Caicó, Bibica Di Barreira, o partido reafirmou o posicionamento de sair fortalecido nas eleições de 2016 e mostrou unidade ao juntar seis mil pessoas num simples encontro. 
"Não dependemos de cacique. Nosso projeto terá um caminho próprio. Não dependemos de autorização de ninguém para termos uma candidatura em Caicó e a presença desses amigos mostra que estamos traçando um caminho certo e que continuaremos recebendo apoio para viabilizar a candidatura em 2016", disse Di Barreira.
Hoje, o PBF conta com cerca de 2.510 pré-candidatos em 122 municípios, mas o partido espera ampliar o número de pré-candidatos ampliando o número de diretórios municipais para 160. Só em Caicó, o partido conta com 85 pré-candidatos a vereador e um pré-candidato a prefeito.

Mãe, vou dá um rolé



Dentadas

"Sou demasiadamente livre para seguir e obedecer a ordem
natural das coisas".
                                                 CACO DENTÃO               
                   

Papo de idiotas



sábado, 28 de novembro de 2015

O japinha tá na área...

Aluno da Escola de Música da UTB ganha competição em Portugal

O primeiro brasileiro a vencer o Concurso Internacional Manoel Miranda (Portugal) é um aluno de Bacharelado em Violoncelo da Escola de Música da Universidade de Timbauba dos Batistas (UTB), Júnior Pilaro. Realizada em Lisboa, a competição reuniu neste ano, 445 violoncelistas de 41 países.
O resultado foi anunciado ontem.Júnior Pilaro, caicoense de nascimento, é bolsista da Orquestra Sinfônica da UTB e detentor de vários outros prêmios.

Décimo



Resfriando seu carango



A linha



Velhinha de Ipueira com 121 anos diz que o segredo para viver muito é fumar e tomar birita

Uma mulher de 121 anos de idade, de Ipueira, contou que o segredo para ter uma vida longa é fumar oito cigarros, tomar três lapadas de cachaça e seis cervejas por dia.Anita Macarrão completou seu 121 aniversário no dia 25 de novembro deste ano, e indicou que sempre apreciou fumar, tomar cachaça e cerveja.Só que agora foi obrigada a diminuir a bebida, já que os médicos sugeriram que será melhor para sua saúde. A idosa não vem se alimentando bem, e por isso especialistas pediram que ela abandonasse o álcool, ao menos por enquanto.
Segundo o médico da idosa, Dr: Hudson a saúde dela é incrível.
Anita é uma em quatro milhões de pessoas no mundo a atingir a idade que possui.
“Quando eu tinha 111 anos de idade, fui para o espelho para agradecer a Deus que eu ainda estava aqui. E agradeço-lhe todas as manhãs”, disse a idosa.



Publicidade



Dentadas

"Sonho com um país mais justo,onde os papagaios

 não tenham que fazer programas de TV durante a 

manhã".

                                      CACO DENTÃO




                                                   

Palestras